Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Já vos contei a minha história do Mickey?

 

 

   Em criança eu tinha um sonho: ir ver o Mickey.

   Em criança, o meu pai perguntava: que queres de prenda? E eu respondia: ir ver o Mickey! E o meu pai dizia: se passares de ano, eu levo-te lá.

   E os anos foram passando e eu, quem sabe movida por essa promessa, fui passando sem-pre de ano. Ensino primário,básico, secundário, licenciatura, pós-graduação, mestrado...a promessa por cumprir e o meu dedo acusatório apontado ao meu pai. E o meu sonho sempre presente e os meus olhos a brilharem a cada imagem que via da terra do Mickey.

   Até que um dia, o meu pai ligou-me e disse: Em Março vamos à Disneyland! Já marquei!

   E é isto. Aos 25 anos, o meu pai cumpre a promessa e vamos os 3 ver o Mickey. E é já daqui a 9 dias!

   Digam lá se não vale a pena ser menina do papá?

 

Coisas que eles dizem e muito bem

 

   Sobre o actual estado da educação das nossas crianças, disse o psicólogo Luís Maia, na televisão, qualquer coisa como:

 

"Se um homem bate a uma mulher, é violência doméstica. Se batemos numa criança é educação e é merecido."

 

   Um bem-haja para o senhor, para quem bater não é educação, muito menos solução.

O que é que eu tenho a dizer sobre o primeiro homem a levar com o taser em Portugal?

 

    Em todas as situações e ocasiões, acho a violência totalmente desnecessária e desumana. Ah e tal ele não limpava a cela e aquilo já era mais pocilga que sítio de gente. Ok! Ok! Têm as suas razões. Está errado o homenzinho, mais parece bicho que gente, lalala lilili, mas que eu não gostei de saber daquilo, quanto mais de ver aquilo na televisão, lá isso não gostei e fiquei cheia de pena so homenzinho-bicho.

   Mas o que eu reti mesmo daquela notícia e daquela reportagem e o principal motivo que me fez escrever estas palavras foi: vocês reparam que os dos macho man dos polícias-tão-fortes-e-maus-que-nós-somos tinha impresso naquela coisa que eles usam para se protegerem e que eu agora não me lembro do nome um magnífico e pujante Hulk Hogan? Ah homem valente, macho e crescidinho!

 

Dos estrangeirismos que pouco inovam

Kristen Dust

 

   Sei que a inovação nos fica bem, enquanto país, mas há coisas que não seriam totalmente necessárias. Como por exemplo essa onda de "estrangeirarmos" os empregos/serviços/funções. Por exemplo, lembram-se dos cabeleireiros? Pois é, acabaram! Antigamentem íamos ao cabeleireiro, hoje temos hair designers! É que dá logo outro ar à coisa, bem longe do espírito de coscuvilhice tão próprio desses locais. Também gosto daquelas empresas do people solutions, vulgo recursos humanos, onde oferecem serviços de profile expert ou um assessement center, whatever that means. E isto sem entrar nos anúncios de emprego que anunciam vagas para coisas que eu nem chego a perceber.

   Isso dos estrangeirismos é giro e tal, mas serão mesmo necessários?

 

And I love you `cause you know who I am

 

Yeah, I've walked through dangers
I've talked to strangers
But they didn't, they didn't understand
When the world seems senseless
It's me and you against them
And I love you 'cause you know who I am

All you dreamers keep dreaming
And let those dreams rise into the light
Go find someone who loves you
To live those dreams through
Don't you go get swallowed by the night

I've walked the stages
I've read the pages
And never, never reached the end
All the world seems senseless
You're here with me against them
And I love you 'cause you know who I am

Deep inside every soul
There's a sadness on the verge of climbing through
Now don't you try and fix it
Why would you do that?
How beautiful when sadness turns to songs

And I'll walk through dangers
I'll dance with strangers
But they will never understand
We'll never be defenseless
We'll win this war against them
Don't you doubt this, yeah I'm sure we can
And who cares if they never understand
And I love you 'cause you know who I am

 

   Tal como a música, o vídeo está delicioso.  

Lipstick Jungle

 

 

 

   Esta foi uma das minhas séries favoritos. Baseada num livro de Candace Bushnell, a mesma autora de "O sexo e a cidade", "Lipstick Jungle" parte do meu pressuposto do SATC e mostra-nos mulheres de sucesso em NY. Não nos traz nada de muito novo em relação à aclamada SATC, no entanto, acho que gostei um bocadito mais desta, essencialmente por 2 motivos: estas 3 amigas sempre parecem trabalhar mais no duro que as outras 4 para atingirem o sucesso profissional; por outro lado, os outfits delas eram deliciosos, especialmente os da Victory, a estilista e a minha favorita.

   Posto isto, e porque não gosto de rever séries e os produtores foram mauzinhos ao pôr.lhe um ponto final cedo demais, eis-me dedicada à leitura do livro que deu origem à série. Coisa bem light e fútil, portanto.