Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

A Estrada

  

   A caminho de lado algum sigo embalada pelos meus pensamentos, sentimentos, dúvidas, medos, anseios, recordações...A estrada segue recta e precisa ao contrário das minhas transmissões de impulsos nervosos que conduzem mil e um pequenos nadas que são tudo...ou quase tudo...

   Assumidamente, gosto de conduzir. Não sei qual o efeito que as mãos no volante e as rodas a deslizarem certeiras pela estrada provoca nos outros, mas em mim faz-me ..."flutuar" (com as devidas precauções e atenções que a condução exige).

   Com a sucessão de quilómetros sucedem-se os meus quilómetros de pensamentos.

   Abrandar. Acelerar. Cruzamentos. Rotundas. Vias rápidas. Trânsito. Localidades. Indicações. Sinais. Obras. Acidentes. Mudanças. Travão. Reabastecer o depósito...a condução implica tudo isto e muto mais. E a vida? Não implicará também tudo isto? Não seremos nós também veículos a circular por uma estrada muitas vezes incerta, outras vezes previsível e conhecida?

  Entramos no carro, arrancamos e seguimos viagem. Nascemos, chorámos e seguimos viagem. Vamos acelerar, abrandar, travar, reabastecer o depósito, ou como vulgarmente chamamos "recarregar as baterias". Vamos encontrar cruzamentos, rotundas, vias rápidas, filas que nos atrasam, sinais, obras, acidentes...

   É a vida.

   Tenho de ir. Há muito estrada para percorrer ainda...

 

   I´m on my way.