Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

5,7 é pouco. Muito pouco

Havia cinco países nos quais o valor médio de satisfação com a vida era igual a 5,7: Djibouti, Egipto, Mongólia, Nigéria, Portugal e Roménia. (...) Pensei nas pessoas que conheço, nos meus amigos, na Marta, nos meus filhos, tentei lembrar-me das pessoas que vejo todos os dias, nos seus rostos, nas palavras que trocamos. Essas pessoas estão apenas cinquenta e sete por cento satisfeitas com as suas vidas. É tão pouco. Elas terão pelo menos consciência de que é muito pouco? Sabem que a possibilidade de serem mais felizes existe, que é real? Estão a fazer alguma coisa para que isso aconteça? Têm um plano? Tem que haver um plano. Tenho a certeza de que sem grande esforço podíamos subir na tabela, chegar ao 6,0. E, se nos mantivéssemos focados, em poucos anos chegaríamos ao 7,0. Tenho a certeza. 7,0 já é um número digno. Mas 5,7? 5,7 não traduz o nosso grau de satisfação com a vida. 5,7 é o nosso grau de insatisfação com a vida. 

"Índice médio de felicidade", David Machado