Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Time to look back...

   No momento em que mais um ano chega ao fim poderia ser altura de balanços,  retrospectivas e definição do melhor e pior de 2013. Para muitos este é o momento em que olham para trás e relembram, para em seguida formularem desejos, sonhos, objectivos, metas ou seja lá o que for para o novo ano. Confesso que a mim tudo isto me passa ao lado.  Há muito que deixei esse exercício mental de final de ano de parte e me dediquei à velha máxima de "um dia de cada vez". É claro que tenho os meus planos, as minhas ambições,  os meus sonhos, os meus objectivos muito bem definidos,  mas esse é um trabalho quase diário e não de uma época.  A vida vai-se encarregando de me mostrar o que é melhor para mim, o que é realmente importante e o que mais falta me faz. E mostra-me constantemente e diariamente. Quanto às retrospectivas também nao me alimento delas. Gosto de viver e tirar o significado de cada vivência no momento. Gosto de aprender com os erros no momento, de relembrar constantemente momentos felizes e nunca esquecer todas as dificuldades por que passei e que ultrapassei. A cada momento eu estou aqui, e tudo o que está para trás e para a frente de mim é vida vivida ou para ser vivida. 

   E é apenas isso que eu quero para todos os dias de 2014, o mesmo que quis para todos os dias de todos os anos que felizmente pude ver passar: vida! E é isso que vos desejo: vida, todos os dias da vossa vida.