Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Mais do que uma dieta, um estilo de vida

   Muitas vezes ouço comentários do tipo "não sei como consegues" ou "nem mesmo de férias sais da linha e perdes o controlo" relativamente à minha alimentação. Claro que estes comentários trazem sempre associada a ideia, exteriorizada ou implícita, do "tu tens é a mania das dietas" ou "não comes para não engordar".

 

   Inicialmente ouvir estas coisas irritava-me um pouco. Actualmente passam-me completamente ao lado e desvalorizo-as. Se eu as valorizasse e achasse que ainda valia a pena perder tempo a dizer uma ou duas coisinhas a estas pessoas (e aqui a minha mãe, completamente obececada com a minha relação peso/alimentação/exercício praticado, não fosse ela mãe e minha), explicar-lhes-ia que eu como tudo aquilo que me apetece e quero, ou simplesmente, como tudo aquilo que naquele momento me sinto bem a comer. Ah e tal, mas não comes como comias há uns tempos a trás. Certíssimo. Mudei significativamente a minha alimentação e guess what?, não me custou nada e sinto-me bem assim. Se mudei a minha alimentação foi porque senti necessidade de o fazer, mais do que pelas questões estéticas e de balança, principalmente como forma de cuidar da minha saúde. Não perco o controlo? Excelente! É sinal que, para mim, isto de comer bem não é uma dieta ou sequer um comportamento forçado ou imposto, mas antes um estilo de vida e a minha maneira de estar em frente a um prato. Quando as coisas surgem naturalmente em nós, a questão do autocontrolo não aparece para nos amedontrar. Eu não resisto a um buffett de doces; eu simplesmente não sinto necessidade de me empanturrar de açucar e ser gulosa nunca foi um pecado meu. Não fujo do Mc Donalds; simplesmente percebi que é um tipo de comida que não me satisfaz e que nem sequer me cai bem, organicamente falando. Eu não me proibo de comer gelados, chocolates, bolachas e outras porcarias. Simplesmente não sinto necessidade de as comer regularmente e quando me apetece pimba, como-as (mas rapidamente mas satisfaço, também é um facto).

   Julgo que depois de uma época em que existia realmente uma mania das dietas, vamos entrando aos poucos numa fase em que as pessoas começam a ter mais consciência da importância de uma alimentação saudável e da manutenção de um estilo de vida saudável. Não é só o espelho a falar, é também a nossa saúde. Nesse sentido, acredito também que cada vez mais temos pessoas que não vivem de e para dietas, a maior parte das vezes loucas e sem resultados, porque são impostas, mas que conquistam um estilo de vida cada vez mais saudável e preocupado. E sendo uma conquista gradual e natural, não haverá essa coisa do "tenho de me controlar". Tudo surge pacificamente, incluindo as nossas necessidades alimentares e aquilo que nos sacia e satisfaz. Mudei a minha alimentação, é certo. Deixei de comer algumas coisas, pelo menos nas quantidades e frequência que o fazia anteriormente, é certo. Mas não há um dia em que eu sinta falta de comer seja o que for. E quando o sinto, vou e como. Aliás e por incrível que pareça eu dizer isto, dou muitas vezes por mim a pensar "como é que eu conseguia comer tantas bolachas sem me fartar (e sem engordar, já agora) e hoje mal passo no corredor das bolachas no supermercado?". As mudanças foram surgindo naturalmente e é por isso que para mim isto faz sentido assim e é tão simples.

   Be healthy! Eat well! Feel better!

1 comentário

Comentar post