Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

«Manual de Felicidade para Neuróticos»

500_9789897412134_manual_de_felicidades_neuroticos

O escritor Gaspar Stau e o psiquiatra Amadeu Amaro são encarregados pela União Europeia de realizar um Manual de Felicidade para Neuróticos. Pelas suas conversas, viagens e encontros passam as mais variadas pessoas e histórias - de um velhote pessimista que pondera o suicídio a um grupo de psicoterapeutas que se faz passar por Fernando Pessoa & heterónimos - que inspiram ao estranho duo estratégias criativas de buscar a felicidade. Mas não poderá ela encontrar-se também em estudos científicos, na nostalgia proustiana de um publicitário ou mesmo num prato de carne de alguidar com migas de espargos?
Entre o neurótico Gaspar e o espalhafatoso Amadeu vai nascendo uma amizade singular, alimentada pelo fascínio que ambos sentem pelas coisas boas da vida. Uma missão que já não era fácil à partida torna-se uma aventura imprevisível quando Gaspar e Amadeu descobrem ser alvo de um complot de burocratas e decidem contra-atacar, recorrendo ao mais inesperado dos aliados.
Manual de Felicidade para Neuróticos é um romance que, em diferentes vozes e estilos, numa narrativa em que cabem Paris e Lisboa, prostitutas e filósofos, redenção e desespero, Oscar Wilde e cozido à portuguesa, procura o encanto, a melancolia e o humor que existem na busca da felicidade.

_______________________________________________________

   A primeira vez que vi este livro nem peguei nele. O título e o facto de ser escrito por um psicólogo levaram-me automáticamente a pensar que se tratava mesmo de um manual de felicidade em jeito de auto-ajuda. Depois fui lendo algumas coisas sobre o livro e resolvi pegar nele para descobrir que afinal era um livro que contava uma história. E fiquei curiosa. A semana passada comprei-o, li-o em menos de 7 dias, mas devo dizer que me desiludiu um pouco. Estava à espera de algo mais profundo, mais sério, mais sentido. Basicamente, o que temos é uma série de histórias sobre pessoas que encontraram a felicidade nas mais pequenas coisas, o que as torna grandes e imensuráveis. Mas, para mim, a maioria das histórias são demasiado banais para serem uma espécie de lição para encontrarmos a felicidade. É certo que só a encontraremos precisamente nessas coisas banais e do dia-a-dia, mas ainda assim, deixou um pouco a desejar. Tirando meia dúzia de "reflexões" pouco mais me disse.