Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Ok

IMG_3051.JPG

 

Ao fim de 6 dias parece que finalmente começo a sentir-me melhor desta gripe monstra que me atacou. Não me recordo de alguma vez ter tido uma verdadeira gripe. Já fiquei várias vezes constipada, mas gripe e então como esta felizmente nunca tive. E espero que não se repita! Acho que nunca me senti tão mal como por estes dias. Para além da febre tive sobretudo dores horríveis no corpo todo e uma perda completa de forças, ao ponto de subir meia dúzia de escadas ser um sofrimento doido. Nos meus momentos de maior aperto, com a febre alta a teimar em não baixar e o corpo completamente quebrado, sem forças sequer para falar ou abrir os olhos, lembrei-me várias vezes de como será duríssimo viver com uma doença grave que nos deixa de rastos dias e dias intermináveis. Felizmente no meu caso era só uma gripe, mas uns dias assim puseram me a pensar em todas as pessoas realmente doentes e o quão doloroso deve ser acordar dia após dia sem melhoras, sem forças, sem energia, sem nada... pude perceber o sentimento de derrota e a vontade de desistir e acima de tudo acho que aprendi a valorizar ainda mais todos os lutadores que se recusam desistir ou deixar de acreditar numa recuperação. Heróis. Super heróis. Por cá parece que a coisa está a passar. A tosse abrandou bastante, as dores no corpo diminuíram depois de dias a arrastar me pelo mundo e a energia há-de voltar aos poucos ao meu corpo, assim como os quase 2 kg que perdi com esta brincadeira, o que para quem pesava 48kg me deixa num valor assustador. Agora só me apetece pensar no Natal, nas férias e na minha recuperação total, para poder voltar às minhas rotinas!

1 comentário

Comentar post