Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

«Padeira de Aljubarrota», Maria João Lopo de Carvalho

 

Muitas histórias correram sobre a humilde mulher que, em 1385, numa aldeia perto de Alcobaça, pôs a sua extrema força e valentia ao serviço da causa nacional, ajudando assim a assegurar a independência do reino, então seriamente ameaçada por Castela. É nos seus lendários feitos e peripécias, contados e acrescentados ao longo dos tempos, que se baseia este romance, onde as intrigas da corte e os tímidos passos da rainha-infanta D. Beatriz de Portugal se cruzam com os caminhos da prodigiosa padeira de Aljubarrota, Brites de Almeida, símbolo máximo da resiliência e bravura de todo um povo.

______________________________________________________________

 

   Primeira leitura das férias.

   Gostando eu tanto de romances históricos, achei que era altura de ler um pouco sobre a nossa história e porque não começar pela nossa Padeira de Aljubarrota e pelos reinados de D.Fernando e D. Beatriz de Portugal? Escolha acertada! Acredito que muitos aspectos e pormenores referidos sejam totalmente ficcionados, mas ainda assim, entram em completa sintonia com a parte verdadeira de toda a história. E é uma grande aventura este livro que devorei em menos de 4 dias, apesar das mais de 500 páginas!