Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Pôr o dedo na ferida...e não o tirar enquanto não sarar

   Ser psicólogo também é isto: descobrir onde está ferida, descobrir porque sangra, pôr lá o dedo e escarafunchar muito bem até a pessoa saber viver com essa ferida curada. Mas isso não é fazer sofrer o outro? Não. É trazê-lo para a realidade porque o queremos ajudar. É dizer-lhe "eu sei que dói, e ainda vai doer mais, mas o caminho é por aqui e, juntos, vamos fazer o penso desta ferida que dói tanto".

   Às vezes não é fácil chegar lá, à ferida mesmo. Tem uma crosta por cima que a encobre mas que não a sarou. Às vezes é preciso andar ali à volta, a explorar, a descobrir, e quando menos esperamos, click, as lágrimas, a dor, o sofrimento e a certeza de que temos de continuar exactamente por aquele caminho.

   O melhor de tudo? Sentir e saber que, no final e apesar de todo o sofrimento, é possível sarar as feridas dos outros.