Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Que febre é esta das pulseiras de elásticos?

 

  Que invasão de pulseirinhas multicolores feitas de material de escritório (parafraseando RAP numa das suas Mixóridas de temáticas) é esta? Diz que é anova loucura entra a canalhada, do mais pequeno ao mais graúdo, que as fazem incansavelmente e com as mais estranhas misturas de cores, primeiro para as oferecerem a pais, familiares e amigos e que agora até já as vendem, qual primeira experiência nesse complicado mundo dos negócios. Para qualquer pulso que se olhe, lá estão elas e na nossa instituição já se tornou quase um elemento do fardamento, tamanha é a quantidade de colaboradoras que as usam, ofertadas pelos seus filhotes.

   Nada contra isto, atenção! Acho até uma certa piada e gosto sempre de todo o tipo de actividades ou febres que afastam os miúdos dos tabletes e dos computadores. Lembro-me que na minha adolescência também existiu uma febre do género, também de pulseirinhas feitas por nós com uns fios de borracha igualmente coloridos. Na altura devo ter ficado com os dedos em ferida de tantas fazer, mas como todas as febres, chegou, venceu e passou. Tal como acontecerá a esta. mas enquanto durar, sempre nos vai colorindo os pulsos e os dias! Força criançada!