Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Hachiko - A História de um cão

 

O Hachi do filme

Hachi foi um cão de raça Akita, nascido em 1923, no Japão. Criou um elo tão forte com o seu dono, que o acompanhava todos os dias à estação de comboios, onde regressava à hora da chegada do comboio que traria o seu dono de regresso a casa. Um dia o dono não regressou. Morreu no seu local de trabalho, na Universidade de Tóquio. Hachi esperou-o no mesmo sítio de sempre, à mesma hora de sempre, durante quase 10 anos, à chuva, à neve, ao frio, ao calor... Morreu em 1935, enquanto esperava pelo dono, no mesmo local de sempre.

Hachi foi história de jornais e revistas. Tem até direito a uma estátua de bronze à porta da estação de Shibuya e a celebrações em honra da sua lealdade.

Estátua de Hachi à prta da estação de Shibuya

A história de Hachi é uma história real, agora re-adaptada para o cinema (existe já uma primeira versão, japonesa), com um Hachi absolutamente irrestível de tão fofinho e lindo que é, e Richard Gere como o dono. Uma história emocionante de lealdade eterna entre um cão e o seu dono.