Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Espelho meu, espelho meu, haverá alguém com um ego maior que o meu?

Luciana Abreu (ou Luce, como parece gostar de ser chamada) foi a convidada do programa 5 prá meia noite. E o que tenho a dizer sobre este assunto tão importante? Na verdade, muito pouco. Não porque não me estejam a passar umas tantas ideias por esta cabecinha, mas porque a Luce pouco disse...já que passou 80% do tempo a rir às gargalhadas (será que se pode chamar assim?), num tom um pouco acima do desejado e adequado a quem está num programa televisivo. Entre uma gargalhada e outra, lá foi dizendo "que estúpida que eu sou", "as minhas maminhas", "juro que não bebi nada",  "maminhas", "ser actriz é bom porque se ganha mais do que em qualquer outra profissão", "não pus silicone, mas sim gel xpto", "não é fácil falar para uma árvore com todo o sentimento e naturalidade como eu o fiz", "as minhas maminhas quase se tornaram mais famosas que eu", "qualquer dia volto a posar para uma revista masculina porque já fui convidada várias vezes", "isto das maminhas é uma moda europeia e só eu é que fui o cristo", "eu enchi o pavilhão de Guimarães com 7mil crianças e 2 mil ficaram cá fora", "isso foi antes de pôr as minhas maminhas", "foi uma produção com muita classe, eles respeitaram porque sabiam que tinha feito um programa para crianças", "sempre fui assim muito bem feitinha", "às vezes estou em casa a ver a novela e enervo-me com a minha personagem, o que mostra que estou a fazê-la muito bem",  "se me aparecesse o génio da lâmpada o único desejo que pedia era ir viver para o planeta Pandora"...no meio de tanta gargalhada, não houve tempo para mais, nem para deixar o outro convidado falar, já que a voz dele era abafada pelas gargalhadas dela...Volta Floribela, estás perdoada (e trás as tuas roupinhas coloridas, as sapatilhas mágicas e os longos caracóis, porque a tua "dona" gosta de aparecer com uns looks de fazer chorar as árvores...)!

 

Perdoem-me esta crónica de escárnio e mal-dizer. Sinto-me aliviada com este desabafo... Como diria o meu Mr. Big: "Se morderes a língua, morres!".

O final perfeito

Tenho que confessar que também tenho os meus momentos "de gaja", nos quais gosto de assistir a uma boa telenovela. Brasileira, porque até hoje, ninguém as iguala.

 

   Depois de assistir a uma cena em que se termina uma relação de anos, dei por mim a pensar que todas as relações deveriam terminar assim. Com uma conversa sincera, a alma tranquila, os sentimentos expostos e um abraço sincero. Porque o que foi vivido permanece para sempre na nossa memória, alimentado pelos bons momentos.

 

As músicas da minha vida #8

"The Scientist" - Coldplay

Come up to meet you, tell you I'm sorry
You don't know how lovely you are
I had to find you, tell you I need you
Tell you I set you apart
Tell me your secrets, and ask me your questions
Oh let's go back to the start
Running in circles, coming up tails
Heads on a silence apart
Nobody said it was easy
Oh it's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said that it would be this hard
Oh take me back to the start
I was just guessing at numbers and figures
Pulling the puzzles apart
Questions of science, science and progress
Do not speak as loud as my heart
Tell me you love me, come back and haunt me
Oh and I rush to the start
Running in circles, chasing our tails
Coming back as we are
Nobody said it was easy
Oh it's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be so hard
I'm going back to the start

 

Expressões #2

Gwen Stefanni

"Não faças tempestades num copo d`água", adverte alguém ao guerreiro da luz. Mas ele nunca exagera um momento difícil, e procura sempre manter a calma necessária. Entretanto, não julga a dor alheia. Um pequeno detalhe - que em nada o afecta - pode servir de estopim para a tormenta que se preparava na alma do seu irmão. O guerreiro respeita o sofrimento do próximo, e não tenta compará-lo com o seu. A taça de sofrimentos não é do mesmo tamanho para todos."

«Manual do Guerreiro da Luz», Paulo Coelho

   Contra mim falo. Confesso ter os meus momentos "tempestade num copo de água". Momentos em que os meus níveis de ansiedade e stress atingem um estado tal que uma pequenina gotinha, a maior parte das vezes insignificante, faz transbordar todo o copo. Estas gotas atravessam todas as dimensões da nossa vida e fazem transbordar qualquer copo: o profissional, o social, o sentimental, o amoroso, o pessoal e íntimo. A dimensão da gota varia de situação para situação, mas principalmente, de pessoa para pessoa. Cada um encerra em si uma tempestade interior. Sem previsão e sem aviso, num qualquer momento essa tempestade ultrapassará as barreiras do inconsciente e da moralidade e explodirá, lançando detritos em todas as direcções. Todos nós já tivemos momentos destes, nos quais disparatamos, gritamos, amaldiçoamos e nos sentimos os seres mais infelizes à face da terra. E, assim como veio, vai. Tivemos a nossa tempestade num copo de água e agora a água acalmou. É nestes momentos de acalmia que nos devemos debruçar na reflexão das causas de uma tempestade. Nossa ou dos outros. Nas nossas, importa entender e reconhecer, para não repetir. Importa aprender a conhecer os sinais para sermos capazes de gerir a caixinha de emoções que guardamos em nós. Nas tempestades dos outros importa não julgar, não opinar, não atribuir sentimento. Os outros, como nós, têm os seus momentos de tempestade, que vêm e vão, diferentes dos nossos, nas causas e nas consequências. Individualidade, é a palavra-chave. De mão dada com o respeito. Porque cada copo tem o seu tamanho e uma gota minúscula pode conter em si litros e litros de sentimentos. Porque no final e sempre, é tudo uma questão de sentimentos do tamanho de gotas de água, mas com importância do tamanho de todos os oceanos juntos.

Metade já está

  Eis que a introdução da minha tese de mestrado passou das 49 às 101 páginas, após intensa reestruturação.

   Já SÓ faltam: terminar a introdução de dados, proceder à respectiva análise estatística, analisar os resultados (e torcer para que sejam os esperados!), discutir os resultados e concluir. Ora isto até final do mês...orientadorzinho, e o meu adiamento onde está?

 

Há coisas fantásticas, não há?

   Não sei se sou eu que ando desactualizada nestes assuntos, mas desconhecia completamente a existência de um spray que...veja-se só...faz emagrecer! Umas borrifadelas, tsss-tsss, e já está, quilos a mais, bye-bye! E ainda dizem que a melhor solução para emagrecer é "fechar a boquinha". Pois que andamos todos muito enganadinhos. O segredo é abrir a boca, spray na mão e carrega no botão!

 

Depois das palminhas emagrecedoras expostas numa bela superfície comercial, este é o meu método de emagrecimento (ou não) preferido.

 

Pág. 4/4