Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Uma mulher deve sempre seguir os seus instintos

 

   Mal olhei para eles, apaixonei-me. Lá estavam eles, lindos, altos, em tons nude, e com uma etiqueta a dizer 50% de desconto. Calcei-os e a paixão passou a amor. Mas eis que desce a veia responsável em mim e digo "Não posso comprar todos os sapatos que acho bonitos. Vamos.". O problema é que aqueles eram lindos. Deixa ver de novo o preço...hum...isto com 50% de desconto...não fica nada caro...Por esta altura, o meu Mr.Big já bufava, dizia "vais calçá-los outra vez???" e agarrava nos sapatos prestes a fugir com eles para a caixa. Eu juro que resisti, resisti mas dei por mim na caixa. No momento de passar o cartãozinho ouço "8.99, por favor". Como???? Por estes sapatos??? Que marcam este preço e mesmo com o desconto andariam bem longe desse maravilhoso valor? A modos que vim feliz da vida para casa, com uns sapatinhos lindos e sem ferir a minha conta bancária. Abençoadas promoções (ou erros informáticos!).

 

Dada a natureza do post, deduzo que ando a ver Sex and the City a mais. Mas que querem, aquilo passa mesmo naquela horinha morta em que não há mais nada pra fazer!

Flor do Deserto

   Tendo em conta que se trata de uma história verídica que denuncia factos vergonhosos para o "ser humano" torna-se chocante e terrivelmente    necessário de se ver, principalmente para nós, mulheres livres.
    Não dá para deixar de pensar nas atrocidades que se fazem por esse mundo fora...

Nós (e) os gatos

 

 

  "Quem conhece o gato, quem convive com ele, não pode deixar de gostar dele. Se há palavras que o podem qualificar estas serão subtileza, sabedoria, curiosidade, graciosidade, magia, sedução, independência, liberdade, mas nunca falsidade.

   Se estivermos com vontade de ter um gato em nossa casa, não nos podemos esquecer de que se trata de um pequeno felino: ele irá trepar pelas cortinas, deitar-se a ronronar nas almofadas, instalar-se em cima do trabalho daquele que ele tiver escolhido como companheiro e amigo (sim, é sempre ele quem escolhe...).

   Partirá em perseguição da própria cauda, fingirá indiferença na caça: ausência, sonolência...Será extremamente limpo, duplicará o seu volume para impressionar, recairá sobre as patas e olhará para nós com uns olhos muito redondos, muito grandes e extraordinariamente expressivos, e abrigar-se-á junto de nós quando estiver com medo. Não admitirá facilmente que algum intruso partilhe a sua intimidade, nem que modifiquem bruscamente os seus hábitos. Terá estratégias de recusa, de desobediência e de rebeldia. Poderá ser submisso, dissidente. Além disso, será tão curioso como inteligente.

   Mesmo que seja daqueles que não podem passar sem umas escapadelas, saberá onde se encontra o seu lar e regressará a ele, mesmo em circunstâncias que ninguém poderia prever."

Bernardina Felgueiras

 

Poderiamos estar a falar de uma pessoa. Falamos de gatos. As diferenças entre ambos não serão muitas. Talvez por isso goste tanto deles.  

O dia em que eles me trairam

 

   Ao que parece torci o pé direito (não parece, torci mesmo) enquanto caminhava numa sandalinha de salto alto. E ao que parece um tendãozito qualquer aqui da zona do cóccix/anca/nádega/perna amuou, que é como quem diz "agora toma lá uma dorzinha para animar o Verão e aprenderes a dar descanso ao teu corpo desses saltos que tanto gostas".

   Estamos bem. Eu, o tendão e os saltos, que talvez tenham um dia ou dois de férias a mais. A dorzita ainda cá está, mas há-de partir.