Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

O drama repete-se

   A instituição onde trabalho tem dois momentos sociais importantes por ano: o jantar de beneficiência e a ceia de Natal. Estes dois momentos implicam uma indumentária especial: o primeiro uma coisa bem formal e "de gala" e o segundo uma coisa menos formal mas nunca informal, diria que um look mais cuidado do que no dia-a-dia.
   Acontece que isto para mim é sempre um drama. No jantar de beneficiência porque detesto comprar roupas que vou usar apenas uma vez (começo a ter um stock de vestidinhos de festa que nuncamais usei) e na ceia de Natal porque está excessivamente frio para levar o que gostaria de levar, de maneira que nunca sei o que comprar. Este ano não está a ser excepção...uma primeira tour pelo shopping deu em nada e sinto-me completamente desmotivada para um novo tour, principalmente quando vejo tanta coisa "to wear everyday" que gostaria de comprar e quando já começo a fazer planos e poupanças para os saldos...
   Restam 10 dias para me decidir. 

Das coisas que eu gostava de perceber

   Os critérios do INEM para transportarem ou não uma pessoa idosa para o hospital. "Não vomitou sangue? Então não reúne critérios para enviar uma ambulância". É no minímo revoltante pensar que só se uma pessoa de 84 anos estiver a desfazer-se em sangue é que reúne os critérios para ser enviada uma ambulância...mas se calhar só são conceitos diferentes de urgência...ou isso ou uma tentativa de negócio, já que com esta recusa a única hipótese é chamar os bombeiros que levam uns vergonhosos 30€ para transportar uma pessoa ao hospital, independentemente da distância entre a casa da pessoa e o mesmo.

   Coitado de quem precisa de ajuda.

Querido Pai Natal...#1

É isto. Um tablet. Não precisa de ser um ipad, na verdade até faço questão que não seja, mas era um tablet. Ou se preferires, meio tablet, que eu sei que os tempos estão difíceis e eu não me importo de contribuir para esta prendinha.
Desculpa lá ter começado desta maneira, mas mais vale arrumar logo com o assunto!

 

 

That time of the year

Dezembro é frio. Lareira. Meias e camisolas quentinhas para os fins-de-semana em casa.

Dezembro é cházinho e bolachinhas a acompanhar um bom filme.

Dezembro são os meus 27 anos.

Dezembro são os primeiros saldos e as primeiras boas compras.

Dezembro é Natal!!! É montar a árvore de Natal e decorar a casa e arrancar o gato do pinheiro. É querer passar mais tempo na sala a olhar para as luzes que piscam no pinheiro. É a ceia de Natal da instituição e a escolha do outfit ideal. É prendas. É a noite de natal que parece que nunca mais chega e passa sempre depressa demais.

Dezembro é cheiro a canela, a bacalhau e batatas cozidas, a leite-creme, aletria e rabanadas.

Dezembro é cantarolar sem me cansar as mesmas músicas de natal de sempre.

Dezembro é uma semana de férias e descanso.

Dezembro é fim.

Dezembro é chegar a um novo ano.

Dezembro sabe bem!

 

Pág. 6/6