Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Coisas que me apoquentam o juízo

   Preciso de partilhar esta situação da minha vida que me tem apoquentado desde...sempre, só na esperança de encontrar por aqui alguma solidariedade e, quem sabe, alguém que sofre deste mesmo mal. E qual é esse mal? É bem simples de explicar, mas difícil de perceber e impossível de resolver. Aqui vai: eu furo todas, mas todas, as minhas meias, sejam elas de que tecido forem, na zona do dedão. É isso mesmo. E agora? Soluções, há? Dramas semelhantes, há? 

Estado em que se encontra este blog

   As semanas que antecedem o Natal são sempre um bocadinho mais trabalhosas e cansativas para mim, pois faço questão de tentar visitar todos os nossos idosos de apoio domiciliário para lhes dar um beijinho de Feliz Natal, ainda que para a maioria deles o Natal varie entre o trmpo de tristeza profunda e um tempo de indiferença.  De maneira que os dias passam a correr e chego ao final do dia com vontade de me enfiar numa caminha quentinha (sim, porque andar na rua com este frio, todo o dia, e a entrar em casas geladas é um verdadeiro desafio total) e desligar completamente de tudo e todos, tecnologias incluídas, ficando aqui um cantinho um pouco morto. Alias, se me dão licença,  vou até à minha cama que já grita desesperadamente por mim! 

«Noites Brancas», Fiódor Dostoiévski

   Um livro pequeno e de fácil leitura mas tão cheio de sentimentos e emoções. Desta vez temos uma personagem romântica, pirosamente lamechas diria mesmo, um sonhador apaixonado, que acaba também por ser o sofredor, como convém em todas as histórias de amor. 
   Segunda viagem por Dostoievski e cada vez mais curiosa em relação à obra deste escritor intemporal.

Querido Pai Natal

Eu sei que este ano estou a abusar, mas entende isto mais como uma wishlist do que como um pedido de Natal. Como o Natal é feito de sonhos, apeteceu-me partilhar algumas extravagâncias contigo, Pai Natal!
Ck Jellewry é, provavelmente, a linha de jóias que mais aprecio e esta pulseira é tão simples que se torna irresistível. 

Querido Pai Natal

Livros, Livros e mais livros!!! Como sempre, a maneira fácil de me fazer feliz e de me ajudar a poupar os euritos.
Como vês há muito por onde escolher e lista mais eclética não podia existir. Ficam só aqui alguns exemplos de páginas que me agradariam muito percorrer nos próximos tempos. Alguns apenas por curiosidade e outros para dar continuidade à obra de escritores que tenho vindo a ler...muito mais haveria para colocar aqui, mas para já chegam estes.

Considerações femininas a respeito de comemorações da quadra natalícia

   Este será a primeira vez em que, a pouco mais de uma semana da realização da Ceia de Natal da instituição, me encontro decidida a não comprar absolutamente nada de novo para vestir nessa noite, estando inclinada para me apresentar com uma roupa perfeitamente normal e que já usei no dia-a-dia, constituida por calça preta clássica, camisolinha, colar, sapato de salto bem alto (a inovação do look comparativamente com o do dia-a-dia) e cabelo arranjado no cabeleireiro. 

   Não estou doente, não perdi o amor louco pelos trapinhos, mas vejo tanta coisa gira em que investir que não me apetece gastar euros preciosos numa vestimenta para passar, das duas uma: algum tempo em pé, de casaco comprido vestido, e muito tempo sentada.Nos dois casos, pouca exposição da roupa, daí a vontade de apostar no custo zero. 

Constatações do dia-a-dia

   A maioria das casas de banho públicas, nomeadamente as dos shoppings, não estão preparadas para quem valoriza a higiene oral pós refeições. Ou quem tem mesmo de a fazer por ter uma aparelhagem na dentadura que acumula metade da refeição ingerida. 

   Primeiro têm lavatórios muito catitas, sim senhora, mas onde se acumula toda a "espuma" do dentrífico (so chic) e segundo e pior de tudo e a falha mais grave de todas, a maioria não disponibiliza papel para limpar as mãos, que no caso dos supra citados (me!) serve principalmente para limpar a boca (e a escova). Ora sem o papel, é suposto eu me colocar debaixo dos aparelhómetros secadores das mãos (dos quais nunca gostei, diga-se de passagem, por não ter pachorra ver os ver sugar a água das minhas mãos que saem sempre molhadas, anyway) para secar/limpar a minha boca? E isso faz-se como? Coloco-me de joelhos no chão? Parece-me complicadito...não que já tenha tentado, mas que me irrita não ter onde limpar a boca, lá isso irrita. 

   E por hoje é tudo. Boa noite e até amanhã.