Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

E motivos para sorrir, precisas?

 

   Estava eu numa grande superfície comercial, à espera da minha vez para ser atendida, e deparo-me com um senhor de idade respeitosa, aquela faixa etária que detém toda a minha preferência, a olhar para mim e a voltar a olhar e a voltar a olhar. A dada altura: "Que carinha tão triste, menina. Estava aqui a olhar para si. Você estava a pensar não estava?". Eu não pude fazer mais nada a não ser sorrir. Sim, porque a pensar estaria de certeza e com a cara fechada me apresentaria também com toda a certeza. Ainda me desculpei com um "Ah e tal é da fome" e atirei com um "mas vou ser atendida primeiro que o senhor por isso já não posso estar tão triste". Ainda assim, não me livrei de um "Mas não há um motivo assim muito grave para estar triste, pois não?". É claro que não há um motivo assim muito grave para eu aparentar tristeza e, só isso, já é suficiente para não oferecer aos outros uma cara menos simpática.

1 comentário

Comentar post