Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Eis-me chegada aos 25 anos

 

   Não quero fazer um discurso derrotista, pessimista e negativista, mas a verdade é uma só: aos 25 anos sinto-me insatisfeita, incompleta, frustrada, desiludida, desanimada...mas não vencida. Estupidamente, sempre idealizei os meus 25 anos como a consagração de uma vida plena de bons momentos, objectivos cumpridos, sonhos realizados, metas alcançadas e muita, muita realização pessoal e profissional. Eis-me chegada aos 25 anos e se trago muitos bons momentos na memória, tudo o resto parece adiado por tempo indeterminado. E é a espera que nos mata, ou pelo menos a mim faz-me mais fraca, ao contrário do que seria de esperar. Ou talvez seja só um dia menos bom para as minhas hormonas e eu esteja a desenvolver uma qualquer aversão patética a dias festivos (excepção feita ao Natal, até ver!). Ou talvez hoje, como desde sempre, eu sinta que aos 25 a minha vida tem MESMO que dar uma volta. É isso ou a loucura e tudo aquilo que ela nos pode fazer.

 

   Ainda assim: Parabéns a mim, por ter chegado até aqui. E por nunca ter deixado de sorrir.

2 comentários

Comentar post