Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Diz a revista Sábado que estes brinquedos são perigosos para os vossos filhos

 

Não acordem o Hulk

 

 

Não o leve para casa. Os miúdos não vão resistir, o Hulk vai acordar e você não vai gostar nada do barulho deste boneco.

 

(já para não falar das tendências clubísticas)

 

 

Cão que faz cocó

 

A menos que esteja a tentar fazer com que o seu filho apanhe os 'presentes' do seu cão quando o passeia, brincar com um salsicha que faz cocó não é nem apropriado nem muito divertido. Principalmente para si.

 

(dúvida: não é apropriado porquê? Qual é o problema dos cães salsicha? E se este faz cocó, maravilha! Talvez as criancinhas comecem a perceber que os animais não são meros brinquedos e também têm as suas necessidades e dão trabalho)

 

 

Vassoura

 

A ideia é da Toys-r-us: ofereça uma vassoura este Natal e um pano do pó no próximo ano. Em três ou quatro anos os seus filhos deixam-lhe a casa impecável. Pelo menos é assim que esta loja pensa

 

(E que grave que é educarmos as nossas crianças para as tarefas domésticas. É que nem todos crescemos com uma empregada que nos tira os caroços das cerejas antes de as comermos)

 

 

Labirinto com cruz suástica

 

É aparentemente um jogo de labirinto normal. Mas olhe com atenção para o caminho a percorrer.

 

(E ainda continuamos a viver sobre o domínio hitleriano. Acham mesmo que as criancitas têm a capacidade de distinguir essa dita cruz neste labirinto? Cri-an-ças, lembram-se? ´Hitler será no máximo o nome do cão da vizinha)

 

 

Vuvuzela

 

Como tornar a vuvuzela ainda mais irritante? Ofereça uma aos seus filhos este Natal.

 

(mas alguém ainda acredita mesmo que as nossas crianças ainda se lembram da vuvuzela?)

 

 

 

Animais de peluche atropelados

 

 

Porque não há nada melhor para educar uma criança saudável, equilibrada e feliz do que oferecer-lhe um animal morto no Natal.

 

(Ok, Ok, se calhar este é o menos simpático de todos, mas verdade seja dita, se não lhos oferecermos já atropelados e mortos, em menos de 24h elas próprias tratarão de os pôr em piores situações e pior estado. E esses comportamentos somos nós que lhes oferecemos)

 

 

 

 Posto de controlo da Playmobile

 

Os novos scanners corporais dos aeroportos norte-americanos já chegaram à Playmobile. Se quiser que o seu filho se torne num fervoroso activista político, é uma boa prenda. Mas há alternativas mais... infantis.

 

(É que nem sei o que dizer...qual é MESMO o problema disto minha gente?)

 

 

 

Doutor fura e enche

 

Pode querer introduzir o seu filho na fascinante carreira de dentista, mas será apropriado fazê-lo com o Doutor Fura e Enche?

 

(Pois eu acho muito apropriado e bem engraçado tratar cáries com plasticina.)

 

 

Barbie actriz porno

 

Uma barbie vestida como uma actriz pornográfica e com uma câmara de filmar incorporada parece-lhe o brinquedo ideal para os seus filhos?

 

(Este então parece-me de muito mau gosto. A boneca será no máximo uma camara woman e não uma call girl. E depois esse espírito de indumentária porno é absolutamente deplorável. Até eu, exímia crítica de vestuário, não lhe vejo mal nenhum na roupa, quanto mais chamá-la actriz porno)

 

 

Copo Buzz Lightyear

 

Provavelmente não vai querer os seus filhos a beber da palhinha do Buzz.

 

(sem comentários.)

 

   Conclusão: uma peça deste género com os comentários aqui transcritos só poderia ter sido pensada e elaborada por uma mente muito adulta, tal é a quantidade de idiotice sem fundamento que nos é oferecida. 

 

   Diria eu que, perigoso, é haver gente a escrever coisas deste género e a conviver com crianças.