Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

E depois há aqueles casos

 

   Em que não havendo o abandono propriamente dito, há a ideia de tomar conta dos pais como um fardo e um empecilho que só ali está para nos incomodar e chatear e este é tão grave como o abandono. Sim senhor, você vem viver cá para casa, mas quem manda sou eu e como você até está incapacitado para uma data de coisas e no final a cabecinha já não funciona como devia, leva com uma carrada de palavras duras e infelizes que ferem tanto ou mais que um estalo. Se a isto juntarmos a negligência do deixe-se ficar aí na cama todo o dia para não estorvar ou do nós vamos sair e você desenrasque-se com a comida e as idas à casa de banho, interessa lá que até nem possa andar ou seja cego ou nem saiba mais o que significa comer, então temos o retrato perfeito da desumanidade que por aí se vai vivendo, se é que a isto se pode chamar viver.

2 comentários

Comentar post