Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

De regresso ao trabalho

 
   A partir de hoje e se me portar como uma menina trabalhadora linda e dedicada, não engrossarei a lista do desemprego português durante os próximos 12 meses.
 
   O regresso foi pacífico e nem chegou a ser bem um "regresso", já que fui ali gozar os 11 dias de férias a que tinha direito e voltei, sendo que para os utentes nunca cheguei a "deixar" a instituição, pois apenas lhes foi dito que tinha ido de férias.
   Quanto ao trabalho propriamente dito, sofreu algumas mudanças. Uma que me agrada bastante e outra que dificulta a realização do mesmo. A primeira diz respeito a uma reformulação da distribuição dos serviços pela equipa de psicologia, sendo que agora trabalho exclusivamente com a terceira idade, que é de longe a minha área preferencial. A outra mudança é que, embora tenha "perdido" a infância, ganhei mais 3 centros sociais para intervenção, o que significa que para 5 dias de trabalho tenho 7 centros para intervir, sendo que em cada um deles existe centro de dia e apoio domiciliário. Como é que isto vai funcionar ainda não percebi muito bem. Se o primeiro dia servir de exemplo, devo-me preparar para sair bastantes vezes uma hora mais tarde do que o que devia e para limitar um pouco o tempo cedido a cada caso/utente, o que não me agrada de todo, mas se as instâncias superiores assim o querem, assim será.
   Tudo o resto parece correr ao ritmo de sempre, ritmo esse que melhorará quando me adaptar às rotinas dos novos locais de intervenção.
   Até lá e todos os dias: mãos ao céu, estou a trabalhar na minha área!