Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Hate blogs

 

 

   O que motiva a inveja blogosférica é coisa que me deixa realmente curiosa. Se calhar eu também gostava de obter rendimentos do meu blog, se calhar eu também gostava de receber umas ofertas e uns convites, quem sabe até um ou outro patrocínio. E se calhar eu até gostava mesmo de "pavonear" as minhas malas Louis Vuitton ou Prada e mais os sapatos Loubotin ou mais que o valha. E se calhar, se tivesse tudo isso, também mostrava no meu blog, porque quem segue um blog segue porque gosta do que por lá se publica, sejam futilidades ou assuntos mais profundos. É isso que a blogosfera tem de bom: mostramos o nosso mundo, na proporção que queremos, e deixamos que os outros o conheçam, se identifiquem, ganhem sugestões, aprendam ou abanem a cabeça em discordância. Há espaço para tudo. O feedback que recebemos é bom ou menos bom, por isso existe a chamada gestão de comentários e se alguém diz algo no nosso espaço que eu não gostamos temos todo o direito de carregar no delete. Afinal, o espaço, embora aberto ao mundo, é nosso e quem não gosta, não volta. É nesta liberdade que tudo se constrói. Nesta liberdade que é de expressão e de publicação, afinal ter gostos e opiniões diferentes ainda é um direito universal, assim como o direito a expô-los. Mas neste mundo blogosférico parece que nem todos pensam o mesmo, ou melhor, o problema parece que é mesmo todos pensarmos de forma diferente, pois aí somos sempre presenteados com aqueles comentários fofinhos do género "sua pecadora do demo, como te atreves a pensar de maneira diferente da minha. Toma lá um comentário mauzinho e um ódiozinho de estimação".  

 

   Mas o que eu não percebo mesmo é essas pessoas que seguem determinados blogs porque não gostam deles! Imagine-se! Entrei, vi, olhei, não gostei, não voltarei. Mas não. Há gente que entra, vê, olha, não gosta e volta, dia após dia. E mais! Não só vê o que diz que não gosta, como ainda se dá ao trabalho de criar, essa própria pessoa, um blog para criticar, maldizer ou escarnecer daquilo que não gosta mas visita todos os dias. Não percebo sinceramente a utilidade da perda de tempo desta gente do maldizer.

 

   Felizmente e que eu saiba os meus hate moments têm sido poucos. Entre um "és fútil/és consumista/falas de barriga cheia/és depressiva/andas sempre a passear de um lado para o outro (I wish!!!)", lá nos vamos aguentando. E com mais aguentariamos. Afinal o blog é meu e, por isso, só por isso, publico o que bem me apetecer. Espero sinceramente que nunca ninguém perca o seu precioso tempo comigo a escrever sobre aquilo que não gosta.

  

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.