Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Na minha mesinha de cabeceira

 

 

«Não, essa ideia de que toda a gente tem de ler é geralmente uma ideia de político, os políticos é que têm de vez em quando essa manifestações voluntaristas de “Vou pôr toda a gente a ler”. Pois é, mas como eu já disse, quando nós temos dez milhões de habitantes e cinco milhões de analfabetos funcionais, digam-me lá aonde é que chegaram as campanhas para a leitura e tudo isso. Não foram longe. A pessoa lê se quer ler…querer impor a leitura, não. Criar condições para que a leitura seja possível e criar condições sobretudo na escola, sim. Se não se começa a aprender a gostar de ler na escola, nunca mais, ou muito dificilmente. E a escola – todos sabemos o que é que se passa -, a escola ensina mal, há professores que não gostam de ler, como é que podem transmitir aos seus alunos o amor pela leitura?

(…)

Há professores que não deviam ser professores e depois há fenómenos recentes e indisciplina nas aulas, os incentivos para a distracção…eu pertenço a uma geração em que praticamente a única distracção que havia era o livro, não tínhamos outra…agora toda a parafernália que nos rodeia, que tem que ver com o audiovisual, distrai, ocupa. Quem é que vai pensar agora em ler um livro?»

 

JSaramago