Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

«Todos os nomes», José Saramago

 

O protagonista é um homem de meia idade, funcionário inferior do Arquivo do Registo Civil. Este funcionário cultiva a pequena mania de coleccionar notícias de jornais e revistas sobre gente célebre. Um dia  reconhece a falta, nas suas colecções, de informações exactas sobre o nascimento  (data, naturalidade, nome dos pais, etc.) dessas pessoas. Dedica-se portanto a copiar os respectivos dados das fichas que se encontram no arquivo. Casualmente, a ficha de uma pessoa comum (uma mulher) mistura-se com outras que estás copiando. O súbito contraste entre o que é conhecido e o que é desconhecido faz surgir nele a necessidade de conhecer a vida dessa mulher. Começa assim uma busca, a procura do outro.

_______________________________________________________

   Mais um livro do meu querido José Saramago e mais um que não desilude e de muito fácil leitura. A história desenrola-se facilmente e de forma muito leve, ao ponto de nos prender às suas páginas sem nos cansar com longos discursos ou descrições que maçam mais do que informam. Sem dúvida, um dos que vai para a lista dos favoritos.

 

   E agora, uma pausa de Saraamgo e abrimos um livro que me desperta muita curiosidade: "A manhã do mundo", de Pedro Guilherme-Moreira.