Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Eu & o Afilhado #1

   Isto de ser madrinha até é capaz de ser giro.

   Hoje o pequenote veio-me visitar e com 8 dias de vida "ensinou-me" um pouquito do que é o mundo dos bebés. Para mim que sempre fugi deles com 4 pés, tudo é novidade. Até mesmo pegar nele ao colo. Hoje pela primeira vez em 26 anos e meio tive um bébe no colo. A sensação é estranha, porque parece tudo mole demais, frágil demais e ele parece estar sempre na posição errada. Tomei-lhe o gosto e já pedia para o pôr a arrotar (embora, de facto, não tenha ouvido nem um arroto) e ainda fui capaz de o adormecer no colo. Isto do dormir aflige-me um pouco porque parece sempre que ele de repente para de respirar, quando na verdade está só satisfeito da vida a dormir de barriguinha cheia. Também assisti à muda da fralda, mas parece-me cedo demais para enveredar por esses caminhos!

   Mas não pensam que subitamente me rendi à maternidade. Quando me perguntaram: então, custa alguma coisa cuidar de um bébe? a minha resposta foi automática: "não custa nada, porque agora tu vais levá-lo embora". Acho que nem um afilhado me vai mudar os instintos. Ou a falta deles.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.