Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Um ano de exercício físico depois...


   Os ganhos e os benefícios são inegáveis e claramente visíveis, física e psicologicamente.

   Comecei por coisas bem levezinhas, como umas aulas de hidroginástica e pilates e senti logo mudanças. Quando o corpo se habitou ao exercício, passei para coisas mais "pesadas", como o Zumba, as aulas de ABS e depois o GAP, o PUMP, JUMP e CrossFit. Ficam a faltar as aulas de Cycle (onde, provavelmente nunca me apanharão, já que não me imagino a pedalar 45min sem sair do sítio) e as de Combat, que pretende experimentar em breve. E um ano depois só encontro coisas positivas no facto de realizar exercício físico - ginásio duas vezes por semana e caminhas/corridas sempre que posso.

   Ganhei uma boa resistência muscular, melhorei drasticamente a minha capacidades cardiorespiratória e até sou capaz de correr - eu que subia um vão de escadas e ficava a bufar consigo agora realizar esforço físico e conversar ao mesmo tempo. 

   A nível muscular, o meu corpo está muito mais tonificado, especialmente a nível abdominal e nas pernas e glúteos (a minha principal preocupação!) e já lhe sinto rigidez quando lhe toco, sem evidenciar aquele corpo excessivamente musculado que detesto ver numa mulher. E - esta parte interessa a todas as mulheres - clara redução da celulite, provavelmente resultado da conjugação do exercício físico, alimentação cuidada e creme anticelulítico de preço acessível (Dove, Garnier ou Nivea). Certo é que actualmente a minha celulite é praticamente invisível a olho nu.  

   Clinicamente, também temos excelentes resultados. Há cerca de um ano as análises clinicas revelaram valores elevados de colesterol (cerca de 230). Nas últimas análises (cerca de 7 meses depois de iniciar a prática de exercício fisico), tinha baixado esses valores para 210, com aumento do colesterol HDL (que é beneficiado quase exclusivamente pela prática de exercício). Atendendo a este quadro, é expectável que consiga controlar e baixar o colesterol para valores normais graças ao desporto, sem qualquer recurso a medicação (já que se trata de um colesterol "hereditário" e não provocado pelo tipo de alimentação). Nos meus problemas de coluna também tenho verificado resultados positivos, já que tenho muito menos dores e reajo bem a praticamente todas as aulas que faço.

   Inegavelmente, manter um estilo de vida activo favorece também a silhueta e o controlo do nosso peso, permitindo-nos alguns pecados alimentares ocasionais. Principalmente desde que aumentei a "carga" das aulas que faço, notei uma diminuição do meu peso, embora esteja aconselhada pelos médicos a não fazer exercício para perder peso já que estou nos limites inferiores do peso ideal. Certo é que em nós, mulheres, 1 quilo a mais do que o normal é suficiente para nos deixar deprimidas e para mim esse momento difícil foi quando me aproximei dos 50kg (para mim é a dead line!). Actualmente estou bem longe desses valores e embora o meu peso oscile bastante entre manhã/noite, senti-me confortável hoje ao ver que a balança me mostrou valores inferiores a 48kg, sem perder as curvas!

   A melhor parte fica sempre para o fim e é a referida aos benefícios psicológicos. Mentalmente não há melhor do que terminar um dia dando uma esticadela ao corpo. Sou uma adepta ferrenha da prática de exercício ao final do dia e quanto mais cansada estiver de um dia de trabalho, maior prazer retiro daqueles momentos no ginásio ou numa corridinha. É um recarregar de baterias extraordinário e um fantástico momento de libertação.

   Atendendo a tudo isto e atendendo a que eu era uma das pessoas mais preguiçosas que poderiam conhecer e que fugia de qualquer esforço físico a sete pés (sim, eu arranjava sempre doenças nos dias das aulas de educação física), estão à espera de quê para se porem a mexer? Num ginásio ou ao ar livre, é, sem dúvida, uma das componentes fundamentais de uma vida saudável e plena!