Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

«Levantado do Chão», José Saramago

«A transformação social. A contestação. Personagens em diálogos. As cruentas desigualdades sociais. Surgem as perguntas proibidas. Vai-se adquirindo consciência e espaço, para que tudo se levante do chão. Um livro composto por 34 capítulos. No 17.º está a tortura e a morte de Germano Santos Vidigal. Germano, o nome que significa irmão, o homem da lança. Apesar de vencido, o sacrifício da sua vida indica o caminho. «Já o encontraram. Levam-no dois guardas, para onde quer que nos voltemos não se vê outra coisa, levam-no da praça, à saída da porta do sector seis juntam-se mais dois, e agora parece mesmo de propósito, é tudo a subir, como se estivéssemos a ver uma fita sobre a vida de Cristo, lá em cima é o calvário, estes são os centuriões de bota rija e guerreiro suor, levam as lanças engatilhadas, está um calor de sufocar, alto». As mulheres são também chamadas à primeira linha das decisões neste belo romance de Saramago. O diálogo monossilábico entre marido e mulher da família Mau-Tempo vai-se alterando. Interessante observar uma narrativa que vai da submissão ao sentido de libertação, através de gerações.»

 (Diário de Notícias, 9 de Outubro de 1998)

______________________________________________________________________

   E assim termino mais um livro do nosso mui nobre Nobel da literatura. Custou-me bastante entrar no ritmo de leitura deste livro, que achei bem mais complexo que as suas obras mais recentes. Se me perguntarem se gostei, claro que gostei, é Saramago, como posso não gostar? Se me perguntarem, recomendas, respondo que recomendo apenas para quem já conhece grande parte da obra de Saramago, caso contrário corre o risco de não querer ler mais nenhum. Não está de todo na minha lista de favoritos, mas não me podia escapar.

   A partir de agora começa a ficar verdadeiramente complicado encontrar mais livros de Saramago para ler. Diria que os "best of" já estão todos cá em casa e mesmo nas livrarias começo a não encontrar nenhum dos seus livros menos falados...