Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Descaradamente infiéis


   Não concordo com a perspectiva de que os homens são mais infiéis que as mulheres. Mas concordo que homens e mulheres traem por motivos diferentes. Desconhecendo outra perspectiva que não a teórica, concordo um pouco com algo que é referido neste filme: a mulher quando trai quase sempre põe sentimentos no acto e fá-lo pelos sentimentos, ainda que esses sejam momentaneos e efémeros. Já o homem...bem, o homem é esse bicho curioso que este filme nos mostra, ainda que de forma muitas vezes cómica. A verdade é que no meio desse humor retrata bem os vários tipos de "infideles". Senão vejamos:

   - temos aqueles que de facto são descaradamente infiéis, que não sabem viver sem muito sexo, que não resistem a um rabo de saia e que dão desculpas como "é a crise", "o Inverno foi muito longo", "não estamos a fazer nada, está-nos nos genes", ou uma pérola como "um dia ainda acordamos fiéis e encornados". Para este género a esposa é sagrada e por isso ai dela que olhe sequer para outro homem e a traição faz de facto aprte da vida, por isso só temos de viver com ela e no final até somos umas sortudas, porque existem países onde um homem pode ter 20 ou 40 mulheres. Palavras para quê?

   - temos também a raça dos coitadinhos, aqueles que querem muito ser infiéis, que só pensam em gajas e gajas, mas que no final não conseguem nada, porque a verdade é que, são tão intragáveis, que ninguém os quer.  Coitadinhos....serão os chamados fiéis à força!

   - não podiamos esquecer a raça dos que gostam delas bem mais novas, estilo colegial, inexperiente, aventureira, filha do melhor amigo...

   - e ainda aqueles que são infiéis, contam à esposa e a culpam pela infidelidade...uma desculpa como outra qualquer...

   - podemos falar de uma última raça de infiéis, que fazem tudo em conjunto com o melhor amigo, que sabe de tudo e tudo encobre e que no final descobrem que tanta "pujança" era apenas e só resultado de uma homossexualidade negada - "se fizermos isto com o melhor amigo, também conta como traição?".

   Felizmente, continuo a acreditar que a generalidade dos homens não é assim e que a fidelidade ainda é um valor bem presente nos nossos casais. Quem trai mais, homem ou mulher? Eu diria que os dois, afinal, ninguém trai sozinho, há um que quer, há outro que deixa ou se deixa levar. Isto foi só um filme que, com recurso a cenas cómicas, retratou uma realidade humana, porque nisto da infidelidade não é como as bruxas - todos nós cremos que ela existe mesmo!