Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

«O amor é outra coisa», Margarida Rebelo Pinto


   Os livros da Margarida Rebelo Pinto são, provavelmente, os únicos livros da categoria "romântico-lamechas" que eu ainda leio. São estupidamente femininos e completamente literatura pop-light, mas, para mim, não há ninguém melhor e mais capaz de escrever sobre esta coisa que é o amor, os sentimentos, as relações entre as pessoas e o fim, porque os sentimentos às vezes também acabam. A verdade é que o principal motivo para eu gostar tantos dos livros da Margarida Rebelo Pinto é precisamente por não os achar nada lamechas e completamente "pés na terra", identificando-me muitas vezes com aquelas palavras, mesmo com as mais duras. São livros que são um hino ao amor, mas que ao mesmo tempo nos dizem que o amor pode acabar e poder acabar bem, com paz interior e todas as questões resolvidas, que é exactamente a forma como eu vejo o amor e outros sentimentos. E para além de tudo isto, de vez em quando sabe-nos bem este tipo de literatura mais levezinha, mas fácil de digerir e cheia de inspiração.