Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

"Quem acolhe os idosos, acolhe a vida"

  “Quando a vida se torna frágil, nos anos da velhice, não perde o seu valor e a sua dignidade: cada um de nós, em qualquer etapa da existência, é querido, é amado por Deus, cada um é importante e necessário."

(cfr Homilia pelo início do Ministério Petrino, 24 de abril de 2005, Papa Bento XVI)

 

 Hoje é dia do Idoso. Mas não é, nem de hoje, que eu me lembro deles ou sinto vontade de lhes prestar uma merecida homenagem. Para mim, os idosos são o melhor do mundo, porque são aquelas pessoas que já viveram tanto e quase tudo e que, por isso, são uma fonte inesgotável de lições, conhecimentos e experiências de vida. Um idoso é uma pessoa tão cheia de tudo que quem tem a sorte de conviver com eles diariamente, ainda que em trabalho, estará, provavelmente, a passar por uma das experiências mais completas e mais gratificantes da sua vida. Se, para uns, não há nada como um sorriso na cara de uma criança, para mim, não há nada, absolutamente nada, como um sorriso na cara de um velhinho, principalmente quando a maior parte das vezes tudo o que temos de fazer para o conseguir é sorrir-lhes, tocar-lhes e dirigir-lhes um simples "olá, como está?".

1 comentário

Comentar post