Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

A excepção à regra

   O filme até se chamava "Ele não está assim tão interessado". O filme até falava daqueles homens que prometem e não cumprem, que dão a volta à cabeça das mulheres e depois desaparecem. Daqueles que as fazem sentir umas princesas e que depois desaparecem. No filme, até havia casamentos precipitados, casamentos impossíveis, traição, separações, mentira, relações fugazes, verdadeiros machos latinos em busca da melhor fêmea...no final, aquilo que verdadeiramente me deixou a pensar foi: até onde é que um homem apaixonado é capaz de ir pela mulher que ama? O quanto ele é capaz de mudar, o quanto ele é capaz de fazer...por ela, pela tal.

   E a regra, o homem que prefere relações fugazes, descomprometidas, livres, torna-se a excepção. Torna-se o príncipe encantado. Faz tudo por ela. Até o que sempre disse que nunca faria. E elas sentem que são igualmente uma excepção. Não pertencem ao grupo das que aguarda um telefonema que não vem, que sonha com o que não tem, que deseja o que não conhece. Elas têm. Está ali. Não por imposição, mas porque sim. Porque para ele e para ela, estar ali é o único local onde querem estar.

 

   Conclusão? Eu sou a Excepção!

2 comentários

Comentar post