Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

ausência

"A ausência é aquele fervor de rins que se sente alguns dias ao entardecer. A ausência é aquela substância amorfa que se instala nas nossas entranhas como um incómodo parasita, aquele veneno amargo que tem a cor opaca do vazio e a espessura remota do medo. A ausência é o desejo de sermos diferentes do que somos, o mais doloroso dos desejos, compreendes?

(...)

A ausência é um fogo que nunca termina de se extinguir e, por isso, o pior de todos os medos: a ausência é o medo à felicidade."

in «Bois e Rosas dormiam»

 

1 comentário

Comentar post