Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Em tempo de campanha para as autárquicas

   Há uma série de factos a que acho uma certa piada (perceberam o tom irónico, certo?). Ora esclarecendo e referindo-me à minha zona especificamente:

1. Os "pi-pi-pi-pi-pi-vote xpto-pi-pi-pi". Chamam-lhe caravanas ao que ouvi dizer, mas o que eu ouço mesmo é buzinadela atrás de buzinela, musiquinha nunca antes escutada, carrinhos atrás de carrinhos (não se venham depois queixar do preço da gasolina, ok?), bandeirinha ao vento e lá andam eles pela rua fora, pela noite fora.

2. A quantidade de cartazes com carinhas larocas que nos enchem as nossas ruas, que são de tal número que sujeitam-se a ser responsabilizados por um qualquer acidente de viação(Nota: acabou de passar o tal pi-pi-pi-vote xpto-pi-pi-musiquinha-vote-vote). Uma pessoa até fica confusa com tanta informação, tanto nome, tanta cor e tanta falta de espaços livres.

3. Chegamos à minha preferida: as obras e obrinhas! Nestas alturas, a construção civil deve registar o seu pico de trabalho e produtividade. Em cada cantinho lá está uma máquina e uma série de senhores de pá na mão. Por aqui tem atingido os limites do absurdo: é o complexo polidesportivo prometido há um ano que em menos de uma semana está de pé e prontinho a ser inaugurado, são as rotundinhas (ex)vergonhosas que hoje se enchem de canteirinhos, florzinhas e pedrinhas, são as árvorezitas todas plantadas pela estrada fora, são os passeios que nunca existiram e que agora se põem todos catitas, são os descampados que são meticulosamente limpos e até alcatroados (para quê ninguém sabe, mas que mostra trabalho, lá isso mostra), são as estradas que levam tapete novo (mesmo que para isso se tenha de fechar uma das principais avenidas), são as alterações desnecessárias em determinados pontos de estradas (aumenta-se o passeio, põe-se isto só num sentido e que giro que fica)...and so on e so far...

   Não é que eu tenha alguma coisa contra as campanhas políticas. Vá, não gosto assim muito (nada?) de política, mas tanta movimentação começa a roçar o rídiculo, tornando tudo isto numa espécie de circo. Circo? Também temos!! É verdade! Com políticos destes, não nos falta nada. Não, não vou falar dos palhaços...ou será que já falei?

1 comentário

Comentar post