Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Dias de Verão em Maio são fantásticos se...

Ponto n.1 - os podermos gozar com todo a vivacidade e intensidade que eles merecem, sendo que isso implica perninhas esticadas (na horizontal), papo para o ar, ausência de horários e um bronzeado invejável. Dito isto, dias de Verão em Maio passados a trabalhar numa sala cujas temperaturas provocariam uma inundação na terra dos ursos polares e com um "bando" de crianças com os termóstatos avariados, são dias que nos fazem desejar a hora do regresso a casa com mais forças do que nunca.

Ponto n.2 - não formos presenteadas com dias de crises alérgicas memoráveis, daquelas em que qualquer stock de lenços de papel não é suficiente, os olhos pesam toneladas, os ouvidos não param de dar estalinhos e o corpo sente-se como se tivesse acabado de participar num sprint da meia maratona.

 

   Tirando isso, é vestir o mais belo dos vestidos, calçar as mais belas (e confortáveis) sandálias, óculos de sol nos olhinhos e na rádio o refrão perfeito:

The sun is coming out for us

Is our time to shine

Heidi Klum

Sol, praia e calor

 

 

  Este fim-de-semana foi Verão!!! O sol brilhou com força, o pézinho caminhou pela areia, a toalha estendeu-se e o olhar perdeu-se no mar. Houve tempo para conversas, almoços, jantares, lanches, gelados, filmes, caminhadas, "tosta ao sol", risos, sorrisos e gargalhadas...Houve tempo para as coisas boas da vida.

   Haja Verão!!!

Praia perfeita

   A tarde perfeita precisa apenas da companhia perfeita no lugar perfeito. A companhia essa é sempre a mesma, porque quando estamos bem não queremos mudar. O local é uma praia com pouca gente, sol e um mar imenso ao fundo. É verdade que havia o vento e a areia pelo ar a colar-se ao nosso corpo e a fazer desaparecer as nossas toalhas (sábado é dia de panadinhos) e os fantásticos vizinhos a programar o "assalto" à loja dos "chinos" de costa cabral, mas quando estamos bem não existe mais nada à volta e mais nada importa. Estamos sós no mundo, tu e eu, os nossos sentimentos, as nossas palavras, os nossos beijos, as nossas brincadeiras.

   A praia é perfeita contigo. Afinal, foi ali que tudo começou...

 

Regresso a casa

   Agosto, mês de férias para muitos. Agosto, mês de regresso a casa para outros tantos...os emigrantes, especialmente os franceses. Por todo lado ouvimos falar francês, em cada cantinho de estrada há matrículas amarelas e letras e números diferentes dos nossos. Os carros vêm carregados de nostalgia, saudade e vontade de abraçar o seu país e os seus. Há uns mais entusiastas que outros, muitos deles vaidosos reforçaram os seus guarda roupas com o melhor que encontraram, lavaram o carro e deixaram-no a brilhar e engraxaram os sapatos. A língua essa vai-se misturando e as perguntas em português são muitas vezes respondidas na língua do país que os acolheu (nunca percebi muito bem este estilo comunicativo a roçar a exibição). Há ainda os que se acham um tanto ou quanto superiores e a sua postura transmite a mensagem do "eu vivo no estrangeiro e lá está tudo muito mais à frente". Há os para todos os gostos e feitios e, embora o estrangeiro até seja "mais à frente", a house doesn´t make a home, por isso é preciso regressar a este cantinho à beira mar plantado para recordar as origens e ensiná-las aos mais novos.

   As razões para partir são muitas. A razão de voltar apenas uma...Home is where they understand you.

 

Praia, finalmente...

   E depois de dias e dias de desespero e ânsia por um raio de sol suficientemente quente para me dourar a pele, finalmente os meus pés pisaram um pedacinho de areia, a toalha foi orgulhosamente estendida no areal, o protector solar espalhado pelo corpo relaxado e depois...nada, apenas o som do mar misturado com as vozes satisfeitas de famílias.

  É isto o Verão...sol, praia, pé na areia , olhar no mar (sim, só o olhar, porque a temperatura nada convidativa da água a tal obriga) e mão dada contigo.

 

   Quero mais.

 

O sol foi de férias

 

    E mais um dia de Verão amanheceu chuvoso. Parece que o sol resolveu tirar férias.

   Ou o calendário me enganou,ou estamos em Julho, ou seja, Verão, calor, sol, praia...acontece que, Verão temos cada vez menos; calor dá um "ar da sua graça", mas não assenta raízes, talvez para não nos saturar; Sol, há-de estar algures por aí perdido entre uma nuvem ou outra; e a praia (em toda a sua plenitude)....bem, essa passou a existir em apenas alguns lugares privilegiados do mundo.

   A verdade é que este tempo "fora de tempo" nos deixa a todos um pouco frios e molhados. Não bastam os dias de Inverno a que somos obrigados a resistir escondidos debaixo de camisolas, casacos e guarda-chuvas mas que ultrapassamos na certeza de que aquele solzinho chegará para nos aquecer...e chegada a altura do calção e sandália no pé o que encontramos nós? A chuva e o frio, a insatisfação nos olhares, os sorrisos esmorecidos pelo vento.

   Sol e calor precisa-se. Até nos podemos queixar (o português é, sem dúvia, o povo mais insatisfeito do mundo) do excessivo calor que nos faz desejar estar permanentemente "de molho" numa piscina, mas o Sol faz bem à alma, e quando a alma está quente e confortável tudo se torna bem mais simples.

   Abre os teus raios e brilha. Mostra que és uma estrelha. Sol. 

 

Cheirinho a Protector Solar

   Não é do protector solar que eu gosto...o que eu gosto mesmo é do cheirinho a protector solar que fica no corpo ao final de uma dia de "tosta ao sol".

  O cheiro a protector solar faz-me sempre pensar em sol, praia e férias. Este odor aparentemente banal traz até mim 1001 recordações.

   Longínquos vão os dias de Verão passados na Póvoa de Varzim. Era tão pequena que as memórias são poucas...ficou a imagem daquele sétimo andar com vista para o mar, o meu quarto com duas camas, as toneladas de brinquedos que levava, o pãozinho quente logo pela manhã, o frango assado comprado na rua, o papagaio que dizia sempre "habla comigo", a casa sempre cheia de familiares...

   À Póvoa seguiram-se os anos de férias à bom português no Algarve. Lagos foi a terra escolhida (e bem escolhida). Daqui o cheiro a protector solar é bem mais intenso e as recordações claras. Os primeiros anos foram gozados em família num apartamento demaisado grande para nós. Foram dias de rodelas de chouriço, do "Dino" a fazer sucesso na praia, do peixe aranha a picar-me no meu primeiro dia de praia, de donuts com açucar, de gelados comidos no Bar Moinho, até um gatinho preto houve que encontrou o caminho até ao nosso 5º andar...os últimos anos foram passados a três, num apartamento bem confortável e agradável. Salta o cheirinho às compras no Pingo Doce, a comida comprada no Take Way e respectiva ventania associada à compra, os passeios nocturnos a pé até ao centro, a animação típica de Verão, as tardes ventosas na Meia Praia, os passeios ao Forum Algarve, as vistias ao Zoo Marine...

   Cansados do Algarve, tomamos novos rumos, metemo-nos num avião e o destino foi: Palma de Maiorca. A paixão foi imediata e nos três últimos anos tem sido o nosso destino de eleição. Aqui sim o cheiro a protector solar deixou marcas profundas. Não há mar igual (quentinho, quentinho), não há paisagens, vistas, fotografias, imagens, como as de lá. O clima é incomparável, a humidade no ar deixa o corpo pegajoso, o ambiente é de verão em festa, convida-nos aos passeios, à boa-disposição, à alegria. O cheiro constante a protector solar acompanha-nos nas longas caminhadas entre C´an Pastilla e Arenal, nos autocarros que nos conduzem ao centro e às suas encantadoras ruas, nas sacas de compras, no pequeno-almoço demasiado recheado e nos pratos demasiado cheios do almoço e jantar.

  

   O último cheiro a protector solar conduz-me à viagem até à Tunísia...até ao minúsculo aeroporto com aparência de pavilhão gimnodesportivo, até ao bonito Hotel Ibersotar Solaria, com as suas magníficas piscinas, a gruta, os crepes a meio da tarde comidos na piscina, a refeição diária de pizza, os coloridos cocktails, a música contagiante, o aroma doce a não sei bem o quê, os sabores da Xixa, a alegria contagiante do povo tunisino, as labirinticas medinas e o "regatear amigo, regatear", o contraste...e tu e as nossas primeiras férias juntos. 

   Quem diria que um frasco de protector solar poderia conter em si tantos cheiros? 

   Estou com vontade de aumentar o meu leque de cheiros...destino? We never know...