Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Divertida-Mente

525626.jpg

  Se há livros que fazem parte do Plano Nacional de Leitura, há filmes que deviam fazer parte de alguma espécie de Plano Nacional de Cinema. Este é sem dúvida um deles! Quando pensamos que a Disney/Pixar já teve todas as ideias fantásticas do mundo para filmes de animação, eis que surge este Divertida-mente, Inside_Out no título original. 

   Basicamente o que este filme oferece a miúdos e graúdos, especialmente graúdos da "área das emoções", é uma excelente lição sobre as emoções, sobre a forma como o nosso cérebro gere essas emoções e a importância fundamental de cada uma delas na estruturação das nossas memórias, do nosso pensamento e da nossa personalidade. De forma fantasiada e bem colorida e animada, está lá tudo, com as nossas memórias transformadas em pequenas esferas coloridas de acordo com a emoção que as gerou! As emoções/personagens principais são cinco: a alegria e a tristeza assumem os papéis principais, às quais se juntam a raiva, o medo e o nojo. A partir daqui é uma bela lição ligeira mas real de como funciona o melhor que nós temos, que é o nosso cérebro. A forma como ada uma delas gera comportamentos em momentos específicos, a transformação das memórias de curto-prazo em memórias de longo-prazo durante o sono, a formação de memórias-base que vão contribuir para a construção da personalidade individual de acordo com as vivências (fantástica a ideia de materializarem cada característica de personalidade que se vai formando em pequenas ilhas que se podem construir ou destruir de acordo com a experiência), o comboio do pensamento que transporta as nossas memórias, uma equipa que análise as memórias de longo prazo e que aspira aquelas que já não nos serão úteis atirando-as para o poço do esquecimento, a terra da imaginação, do pensamento abstracto, do raciocínio lógico e até uma lixeira, o nosso inconsciente, onde está tudo aquilo que queremos esquecer ou esquecemos mesmo. 

   Este é daqueles filmes que vale mesmo a pena ver. Não será tão recomendado para crianças pequenas, pois não compreenderão a verdadeira essência e objectivo deste filme, mas para os mais cresciditos, para adolescentes e até para nós adultos é realmente uma preciosidade! E aquela tristeza, que tanto tememos mas que tem um papel tão importante na história, é só o bonequino mais fofo dos últimos tempos! 

   Vejam, por favor! Para nos conhecermos melhor.