Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Olha o subsídio!

Um desempregado sem subsídio é como um náufrago sem bóia. E um náufrago sem bóia sabe que tem de nadar muito mais depressa do que um náufrago com bóia. E nada. Nada mesmo. E vai mais longe do que algum dia chegou, e até nada crawl se for preciso - mesmo que nunca tenha nadado crawl. Um náufrago sem bóia nada mesmo que nunca tenha nadado na vida. Um náufrago sem bóia nada mesmo que não saiba nadar. É a necessidade que aguça o engenho. E é a precisão que esmiuça a inércia. Não penses que sou contra ele, o subsídio de desemprego. Nada disso. Acredito que pode, em algusn casos, ser útil. Sobretudo nos casos em que quem o recebe está, ainda, a perceber o mal que o sacano do dinheirinho certinho na conta, sem mexer a ponta de um dedo do pé, lhe faz. Não lhe faz.

Pedro Chagas Freitas, "Eu sou Deus"

 

   Faço minhas a totalidade destas palavras, duras mas diretas e reais. Em muitos casos, existir um subsídio, seja de desemprego, seja um RSI, é o maior obstáculo à procura de emprego e o maior promotor da chamada "boa vida à nossa custa". 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.