Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Um milhão num quadro em branco

  

 

   Mais um número foi hoje lançado: 9% da população portuguesa é analfabeta. Isto é o mesmo que dizer que quase um milhão de portugueses não sabe ler nem escrever.   

   Falamos da população mais envelhecida do nosso país, que noutros tempo foi obrigada a largar a aprendizagem substituindo-a pelo trabalho, sem direito a opção ou liberdade de escolha. Falamos de pessoas que não sabem o que é o "a, e, i , o, u", que não sabem que as letras conjugadas formam palavras e  que as palavras todas juntas formam textos, cartas, opiniões, sentimentos, devaneios. Falamos de seres humanos que desconhecem o valor de cada número e que, por isso, são incapazes de realizar um telefonema ou efectuar um pagamento sem a ajuda dde terceiros, confiando muitas vezes no bom-senso de quem têm à sua frente.

   Estes 9% da população nunca sentiram o prazer da escrita ou da leitura. Nunca abriram um livro para viajar com as palavras. Nunca fizeram contas à vida, porque as contas da vida não permitiram que a sua mão pegasse num lápis e começasse a esboçar linhas, traços e pontos.

   Um milhão de portugueses vive perante um quadro em branco. Um milhão de portugueses não é capaz de ler estas minhas palavras. Que representação terão estas pessoas do mundo? Será que também nestes casos "nunca é tarde para aprender"?