Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

«O mundo segundo Bob, James Bowen

 

Quando James Bowen encontrou um gato alaranjado nas escadas do prédio onde vive, não fazia ideia do quanto a sua vida iria mudar.James e o gato Bob têm vivido uma experiência excecional. No seu livro anterior intitulado A minha história com Bob, acompanhámos os primeiros passos de uma amizade improvável e que veio a revelar-se determinante na recuperação de James. Agora é altura de reaprender a viver no mundo real. É raro o dia em que Bob não oferece momentos de inteligência, coragem e humor, chamando a atenção do seu amigo James para a importância da amizade, lealdade e de quão importante é ser feliz. James revela-nos como sente que Bob tem sido o seu protetor em momentos difíceis, como quando esteve doente ou foi ameaçado de morte.  Neste segundo livro, James Bowen oferece-nos um relato emotivo, evocando momentos de alegria intercalados com episódios de tristeza e demonstrando que num mundo tão hostil continua a haver espaço para a esperança.

 

__________________________________________________

 

   Um livro que não faz de todo o meu género literário. Li o primeiro livro do Bob o ano passado também por esta altura e oferecido pela mesma pessoa que este ano me ofereceu a "continuação". Quem me conhece sabe que eu adoro gatos e que raramente resisto a uma bela história de ou com gatos. Foi o que aconteceu com o primeiro livro do Bob que, apesar de tudo, não era um grande livro com uma grande história de gatos. Este segundo é um bocadinho "mais do mesmo" e uma clara tentativa de fazer "render o peixe", ou neste caso "de fazer render o gato". Ainda assim é um gato a personagem principal e à partida estamos perante factos reais, o que acaba por compensar a leitura.

   Um livro apenas para quem gosta de gatos e consegue, de vez em quando, abrir um espacinho para histórias simples e escritas por gente que não percebe muito disto.