Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Chernobyl, 30 anos

ss-110425-chernobyl-0041.jpg

Comparam constantemente com a guerra. Mas a guerra...Dá para compreedê-la... O meu pai contou-me da guerra, li em livros...Ora, neste caso? Da nossa aldeia restam três cemitérios: no primeiro, que já é antigo, jazem pessoas, no segundo, cães e gatos baleados, que deixámos para trás, no terceiro, as nossas casas.

Até as nossas casas foram sepultadas...

"Vozes de Chernobyl", Svetlana Alexievich

 

Porque no mundo e dos homens há muito que nunca chegaremos a compreender. Que fique a lição. Que descansem em paz. 

Chernobyl

"Com esta patologia, a sua filha é de grande interesse para a ciência. Escreva para clínicas estrangeiras. Devem estar interessadas nisso..." E eu escrevo... Escrevo que a cada meia hora é preciso espremer-lhe a urina com as mãos, a urina é excretada através de orifícios pontilhado na região da vagina. Se não o fizer, o único rim deixa de funcionar. Onde existe no mundo uma criança que precise que a urina seja espremida com as mãos a cada meia hora? E quanto tempo é possível aguentar? Não me permito chorar... Não posso chorar... Bato a todas as portas. Escrevo. Aceitem a minha menina, nem que seja para experiências... Para investigações científicas... Consinto que se torne uma cobaia, como uma razinha ou um coelhinho, desde que sobreviva. #Vozes de Chernobyl, Svetlana Alexievich