Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Compaixão

1.Sentimento benévolo que nos inspira a infelicidade ou o mal alheio.

2. lástimapiedade.

3. Do latim compassiōne-, «sofrimento comum»
Depois das definições do dicionário da língua portuguesa, fica esta:

Compaixão no sentido que a palavra recebe no Oriente, onde se relaciona com o amor na sua forma mais franca, aquela que não passa apenas por ajudar a paliar o sofrimento da outra pessoa, mas também o nosso próprio sofrimento. (...) a compaixão é tida como a atitude de amor que nasce da observação do sofrimento (algo muito diferente da pena ou dó), como o fluxo do amor no sentido mais amplo da palavra: um amor que possa ajudar verdadeiramente a pessoa que está a sofrer. (...) A compaixão deve ser vista como a capacidade de mobilizar o amor quando nos apercebemos de que outra pessoa está em sofrimento. ["Viver com Alzheimer", Dr. José Luis Molinuevo].

Qual vos parece a definição mais adequada, do ponto de vista humano? A resposta é simples e não há muito em que pensar. Chega daqueles sentimentos de "coitadinho de quem está a sofrer", chega de pena, de dó, de piedade, de "ai que desgraça haveria de acontecer". Transformemos todas essas lamentações em amor pelo outro e em tentativas efectivas de o ajudar, de o pôr lá para cima, de o pôr a sorrir em vez de chorarmos com ele.