Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Para quê complicar?

  

   Numa visita a essa grande superfície que fala sueco, apela ao "viva mais a sua casa" mas depois "oferece" pequenos almoços a 1euro, almoços a 1euro e meio e cachorros a 50cêntimos e cujo nome contém as letras I-K-E-A (não necessariamente por esta ordem é claro, não estamos aqui a fazer publicidade a ninguém) existiam objectivos a cumprir (leia-se coisas a comprar), o que é importante quando nos enfiamos naqueles intermináveis corredores de materialismo. Entre outras coisas, uma almofada era precisa. Olha isto, olha aquilo, mete pró carrinho porque é barato e faz sempre jeito e lá estão as ditas cujas. Um primeiro olhar e...mas que raio???...então não é que os suecos nos oferecem uma complicada variedade de almofadas para dormir de barriga, dormir de costas, dormir de lado e sei lá mais o quê, já para não referir as "medicinais", para a zona média das costas, para o escoço, para a coluna, and so on...ah! E as altas, baixas, médias, compridas, pequenas...(isto deixa qualquer um cognitivamente de rastos). Mas então e se eu, numa noite só, dormir de barriga, de costas e de lá? Hem? Levo as 3 e vou rolando na cama conforme a posição? Será que nem na nossa cama somos livres de decidir o que queremos e temos subter à ditadura de uma almofada? Vamos comprar uma almofada e saimos de lá a desejar a nossa cama, tal é o esforço de escolha. E quem não gosta de desafios sai de mãos a abanar.

   Meus senhores, eu até gosto de vos visitar e não regressar de mão a abanar (mas não como esse cachorro de 50cêntimos, não, não), mas se vocês apelam e vendem esse espírito prático e eficiente do "faça você mesmo" perfeito para um século XXI de correria e efemeridades, não complicam as coisas! Não com coisas tão simples como uma almofadinha...Para além de vivermos mais a nossa casa, deixem-nos também viver mais a nossa vida, com almofada de barriga, de costas ou de lado.