Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

I hate mondays

   À semelhança de muita gente, detesto as segundas-feiras....mas não, não sou mais uma a detestá-las por ser o dia de regresso ao trabalho. Eu odeio-as exactamente pelos motivos contrários...à 2ªf toda a gente vai trabalhar e eu fico em casa, qual dona de casa desesperada! Segund-feira marca o início de mais uma longa semana de pasmaceira...

   Somebody HELP ME!!!

 

   Há que manter o tempo ocupado e assim, para continuar a esvaziar os bolsos dos papás e aumentar as páginas do meu currículo, lá vou eu para mais um curso. O felizardo? Recrutamento e Selecção de Pessoal...já estou por tudo. 

(In)Decisões

   Finda a época de exames nacionais, chega a altura das candidaturas à(s) Universidade(s). Filas à parte, o que realmente me deixa a pensar é a resposta já bastante comum de um número bastante significativo de jovens futuros universitários momentos antes de formalizar a candidatura - P: "Então e a que cursos te vais candidatar?", R: "Ainda não sei...".

   Há 5 anos atrás eu estava na mesma estrada que estes jovens. A mesma ânsia em saber o que viria, a excitação da entrada num novo mundo, o desejo do crescimento que a entrada na universidade proporciona...mas num aspecto eu era diferente. Eu sempre soube o queria "ser quando for grande" (o que não significa que essa certeza fosse sempre a mesma ao longo dos anos). Quando cheguei ao final do 9º ano as minhas vontades eram 3:

   - a eterna paixão pelos bichinhos despertou desde cedo o desejo de ser "médica dos animais"!!!

   - o gosto pela escrita, pela aventura e pelas palavras fez nascer a curiosidade pelo jornalismo.

   - não sei bem o quê, mas talvez a minha verdadeira essência, acendeu a chama da psicologia.

(para grande tristeza do meu papá seguir as suas pisadas de engenheiro de sucesso nunca fez parte dos meus planos)

   Tal como muitos outros jovens, fui alvo de um processo de orientação vocacional mal feito, cujos resultados me abriram portas a todos os meus gostos. Conclusão: a escolha foi somente minha.

   No secundário a hipótese do jornalismo foi abandonada e acompanhada de comentários como "Ainda se vai arrepender de não seguir jornalismo, tinha perfil para isso". Ora, eu acho que o "perfil para isso" está dentro de nós e não em notas ou desejos dos pais. Talvez por isso a veia de psicóloga tenha pulsado mais forte dentro de mim e lá fui eu para a universidade com psicologia como única escolha. Hoje, 5 anos depois, sou licenciada em psicologia, reconhecida com prémio de mérito no 1º ano curso e no final de curso (2ª melhor classificada - e os euritos e o pc escaparam-me por décimas!). A 4 anos de curso seguiram-se 6 meses de estágio e 5 meses de desemprego...

   Desemprego, esse monstro do século XXI e que faz vacilar qualquer um antes de escolher um curso. Este monstro justifica as indecisões e as dúvidas. O espírito aventureiro de "o que eu quero é ir para a universidade" não. Trata-se de personalidade. Uma personalidade que já deverá estar vincada nesta fase da vida, mas que cada vez mais jovens teimam em não desenvolver, ou pelo menos, reprimir.

   Tenho apenas 22 anos e ainda muito a aprender e a crescer, mas sei o que quero e sempre soube. Determinação, auto-eficiência, auto-confiança e ambição são parte de mim e vão-me levando até onde eu quero e continuarão a levar-me. Tudo a seu tempo, é certo. A minha estrela continua a brilhar e em algum momento há-de brilhar mais que todas as outras em algum momento.

   Façam as vossas estrelas brilhar incessantemente também.