Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Disneyland Paris - it´s a kind of magic

 

   A Disneyland é o local onde não há idades e onde tudo é permitido e possível. Não faz mal se temos 5 ou 25 ou 50 anos, todos podemos usar umas orelhas de rato Mickey ou Minnie na cabeça e correr para a nossa personagem favorita. Eu não fui excepção. Mal entrei tive a certeza que nesse mesmo dia ia pôr umas orelhas de Minnie na cabeça, exclemei "olha o Mickey!", "olha o Sully", "olha o Ratatui", etc, etc, e corri, sim eu corri (!) quando, no último dia, no meu hotel, recebi uma visita do Winnie the Pooh.

   A Disneyland é o local onde podemos andar nos mais infantis dos carrocéis, só porque estes são do Dumbo ou da Alice no País das Maravilhas,  ou nas maquinetas mais loucas, daquelas que sempre dissemos que nunca andariamos. Eu não fui excepção e enfie-me, pela primeira vez, numa montanha-russa, logo a do Indiana Jones e andei para lá de pernas para o ar, dizem eles, que eu manti os olhos bem fechados e a garganta bem aberta. Não satisfeita com a emoção, deixei-me levar pelo cenário Nemo e meti-me no Crush´s Coaster, uma espécie de montanha-russa inspirada nas correntes do Pacífico, coisa que de pacífica não tinha nada e na qual, mesmo que tivesse tido coragem para abrir os olhos não teria visto nada, já que era tudo escuro. No final, uma certeza, ali dentro nunca mais me apanham e vamos mas é andar ali no Faísca McQueen.

   A Disneyland é o local onde nos sentamos durante 20 ou 30 minutos a assistir, deliciados, a um espectáculo com as personagens Disney, com o entusiasmo de uma criança de 6 anos. Eu não fui excepção e assisti a quase todos, com grande tristeza por me terem escapado uns três.

   A Disneyland é o local onde toda a gente sorri e todos são inundados pela maior paciência do mundo, mesmo que seja necessário aguardar 60 minutos ou mais numa fila para 2 minutos de diversão.

   A Disneyland é o local onde as músicas da nossa infância soam sempre nos parques, fazendo-nos cantarolar e bailar, cheios de vontade de chegar a casa e ouvir e ouvir de novo aquelas músicas.

   A Disneyland é o local onde estamos tão absorvidos pelo que nos envolve que nem nos lembramos de comer, coisa que até é bem vinda quando não resistimos a dois ou três croissants ao pequeno-almoço.

   A Disneyland é o local onde o espírito Disney está em cada pormenor e onde perdemos a cabeça e o dinheiro a comprar peluches, porta-chaves, ímans, copos e camisolas, desde que diga Disneyland Paris e inclua umas orelhas pretas.

   A Disneyland não é um local mágico. É um local onde se faz magia, simplesmente porque os olhos brilham do início ao final do dia, e que dias, que apesar de longos e cansativos são inesquecíveis e para repetir. A Disneyland é o local onde vamos querer voltar, quanto mais não seja porque deixamos sempre alguma coisa por ver e isso entristece-nos.

   A Disneyland é um local onde é fácil ser-se feliz e isso chega para fazer dela um dos melhores locais do mundo.

   Ah! E o castelo das princesas, é mais pequeno do que nos fazem sonhar, mas há tanto para ver, que isso se torna irrelevante.

Em Março, este não me vai escapar

 

E assim que o vir vou gritar como uma criancinha que acabou de ver o catálogo da Toys `r Us.

 

Já vos disse que tenho um Pooh de peluche gigante no meu quarto e que não consigo não deixar de o ter?

 

E já vos disse que é a coisa mai fofa do mundo?

 

E já vos disse que o vou ver, lá para os lados de Paris, em Março de 2011?