Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Pensar é esquecer

 

 

  Michael Anderson, especialista em investigação sobre a memória da Universidade de Oregon, tentou calcular o custo da "evaporação" de memórias. Segundo os resultados de uma década de "diários de esquecimentos" elaborados pelos seus alunos de licenciatura (a quantidade de tempo perdida à procura das chaves do carro, por exemplo), o perito calculou que os seres humanos desperdiçam mais de um mês em cada ano para compensar coisas de que se esqueceram. 

(...)

   Encontramos na evolução boas explicações para a razão pela qual a nossa memória nos falha da maneira específica que o faz. Se tudo aquilo que vemos, cheiramos, ouvimos ou pensamos fosse imediatamente armazenado nessa enorme base de dados que é a nossa memória de longa duração, ficaríamos submersos em informação irrelevante. 

(...)

   ...talvez seja o esquecimento, e não a memorização, que constitui a essência daquilo que nos torna humanos. "Pensar é esquecer", escreveu [Jorge Luís Borges].

 

(Extractos da repostagem «A memória - Porque lembramos, porque esquecemos», publicada na revista National Geographic, Outubro 2008)