Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Muse @ Estádio do Dragão a fazerem história, no dia de Portugal

   Já fui a alguns concertos nesta vida, mas estava-me a faltar um concerto de estádio, uma coisa a sério e em grande. Não podia ter escolhido melhor banda para me estrear nesta coisa dos mega-concertos! Pessoalmente, sou uma fã dos Muse desde os meus tempos de faculdade, já não sei bem como ou porquê. É daquelas bandas que nunca me canso de ouvir, não só em registos mais soft como em músicas bem pesadinhas, óptimas para aqueles dias de raiva e nervos. Tal como disse, tentei resistir a comprar um bilhete para este concerto praticamente até à vespera, mas tenho de admitir que iria ser a maior desilusão da minha vida caso não tivesse ido. Foi simplesmente...brutal!
   Resumindo, e tirando a longa espera e o frio que estava (abençoada ideia de ter ido para a bancada e ter lugares sentados, mas muito muito frios) e aquele intermédio difícil de aguentar que foi ouvir os White Ocean (banda convidada), assim que começou e até que terminou não consegui deixar de me sentir como se estivesse a assistir a um dos concertos do Muse na televisão, mas com o volume muito muito elevado. A quantidade de estímulos era tanta que era difícil centrar a nossa atenção apnas num ponto do fantástico palco. Mais do que um concerto, ofereceram-nos um verdadeiro espctáculo, muitas vezes teatralizado, exagerado, excêntrico, mas sempre, sempre completamente crazy!!! As duas horas de concerto passaram a correr e era capaz de ali ficar a ouvi-los durante mais duas horas, mesmo com o risco de sair de lá sem garganta!
   Numa palavra: memorável!!!!