Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Because we all need a co-pilot

 

"Quanto pesa a sua vida?

Imaginem que carregam uma mochila às costas. Uma mochila com tudo aquilo que possuem na vossa vida. Comecemos pelas coisas pequenas. Os objectos das prateleiras e das gavetas, as bujigangas e colecções. Depois passamos para as coisas maiores. Roupas, electrodomésticos, a televisão... Nesta altura a mochila já estará bem pesada. E ficará ainda mais. O sofá, a cama, a mesa da cozinha e tudo o que estiver nela. O seu carro, ponha-o lá. A sua casa...Agora, vamos enchê-la com pessoas. Comece com os encontros ocasionais, os amigos dos amigos, os colegas de trabalho. Passemos às pessoas a quem confiamos os nossos segredos mais intímos. Irmãos e irmãs, filhos, pais e, finalmente, mulher, marido, namorado ou namorada. Coloque-os todos dentro dessa mochila. Sinta o peso dessa mochila. Não se iludam. As vossas relações são a componente mais pesada da vossa vida. Sentem as alças a cortarem as vossas costas? Todas as suas negociaçõese discussões, segredos e compromissos.  Não se enganem: moving is living.  Alguns animais carregam-se um ao outro. Vivem simbioticamente  vida inteira. Amores eternos, cisnes monogâmicos. Nós não somos esse tipo de animais. Quanto mais devagar nos movemos, mais depressa morremos. Nós não somos cisnes. Somos tubarões. "

adaptado do filme "Nas nuvens"

 

Preciso de dizer que adorei o filme? Viver nos céus, correr de um lado para o outro, não ter raízes e perceber a sua importância. Aprender a importância dos outros, o peso dos outros, o lugar dos outros na nossa vida. Lidar com fragilidades humanas de forma fria e distante e sentir que isso nos afecta. Que o outro está ali, mesmo em frente a nós, e que precisa de nós. Ter um objectivo secreto e concretizá-lo. Voar. Motivar. A solidão. O encontro, o reencontro. Sentir falta. Partir. E saber o que queremos, ao voltar.

 

E George Cloney está óptimo, como seria de esperar, com a voz perfeita para nos fazer pensar nestas e noutras coisas.