Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Se só se vive uma vez, porque viver a correr?

   Não sei se é o mundo que está apressado, se é o tempo que passa depressa demais, se é a vida que se tornou mais efémera ou se sou apenas eu que vivo de forma demasiado acelerada e por isso mesmo, demasiado ansiosa. Certo é que mais do que nunca tenho a sensação de que desejamos demasiado a passagem do tempo para depois nos lamentarmos do tempo que já passou. Parece que vivemos sempre à espera de que aquele momento chegue, aquele dia, aquela hora...acordamos à segunda feira a desejar que a semana passe rápido e o fim de semana chegue; quando finalmente é fim de semana, são dois dias que quando nos apercebemos já passaram. Entramos no trabalho de manhã a desejar que a hora de sair chegue rapidamente; quando ela chega esquecemo-nos que é mais um dia que está a terminar. Passamos o Inverno a desejar que a Primavera chegue e o sol brilhe; quando damos por nós já o Verão vai a meio e já só pensamos em roupas e mantas quentinhas, ao ponto de dizermos coisas estúpidas como "já tenho saudades de ver um filme enrolada numa manta a beber um chá quentinho" quando não existe nada melhor que o tempo quente. Durante um ano sonhamos com as férias de verão, com os dias de descanso a tostar ao sol, sem preocupações ou tempo contado. A verdade é que as férias são 10 dias que passam a correr e o resto do ano são muitos dias para aguentar. Se sabemos que a determinada altura vai acontecer algo que queremos mesmo muito que aconteça, quase que pensamos que não nos importariamos de adormecer e acordar só nesse dia, deixando de viver todos os outros, que são tão importantes como aquele que tanto queremos.
   A verdade é que o tempo é um bem demasiado precioso para o querermos despachar. A vida atual está demasiado acelerada para nos permitir aproveitar os dias, os momentos, os acontecimentos e as pessoas como deve de ser. A regra atual é "nunca mais é..." ou "nunca mais chega...". Eu vivo completamente neste sistema, o que, quando consigo parar para refletir, me irrita e incomoda profundamente, pois gera um tremendo estado de ansiedade interior com a qual às vezes tenho alguma dificuldade em lidar e que não é nada saudável. Parece que estou sempre à espera do que vem a seguir e quando abro os olhos já tudo passou. Já era!
   O que será que nos falta para finalmente aprendermos que só se vive uma vez e que agora é tão importante como o que vem a seguir?