Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

La Isla Bonita

 

 

   Nove dias de férias são muito bons. Nove dias de férias em Palma de Maiorca são ainda melhor. Mais do que uma ilha espanhola, Palma é um pequeno mundo à parte, um local completo e que nos oferece tudo o que podemos imaginar. Há sol, calor e, como este ano descobri, chuva que aparece e desaparece em 1, 2 horas. Há praias para todos e praias mais desertas; há um mar a perder de vista com uma água de um “azul – esverdeado – transparente” (estranho, mas não encontro outras palavras); há a agitação de uma grande cidade que consegue ser cosmopolita e histórica ao mesmo tempo; há locais onde a mão humana ainda não chegou e nunca chegará, locais de cortar a respiração, onde nos sentimos puros, livres, renascidos.
  Mais do que um destino de férias, é um dos meus destinos de eleição. Um destino onde me sinto leve como uma pena, onde o sorriso não se desfaz de manhã até à noite e onde as 24horas de cada dia parecem poucas para tanta vida.
 
(o meu paraíso na terra - Sa Calobra)
 
   Em Palma de Maiorca suspiramos profundamente ao chegar e ao partir. Sente-se alegria ao chegar e saudade ao partir.
   Em Palma desejamos que os nossos olhos captem cada pormenor, cada imagem, e que o nosso cérebro as guarde interminavelmente, para podermos lá voltar mentalmente sempre que o físico não nos permite.
   Naquela isla bonita as máquinas fotográficas nunca parecem suficientemente boas e as fotografias nunca são suficientemente reveladoras, porque não captam a perfeição de uma vivência.
   Quem lá vai quer voltar, é por isso que depois de 4 visitas e 2 dias depois de regressar já fui invadida pela nostalgia, ou melhor, já sinto saudades do espírito daquele pequeno paraíso rodeado de azul.
 

 

Fechado para férias

   Com esta chuva deprimente estou de partida para lugares onde há sol e calor, praia, um mar infinito com temperaturas invejáveis e um espírito latino no ar. O destino: Palma de Maiorca.

   A borboleta repousará durante 9 dias em terras espanholas, regressando com a alma renovada e o espírito rejuvenescido.

   Até já.

 

 

Cheirinho a Protector Solar

   Não é do protector solar que eu gosto...o que eu gosto mesmo é do cheirinho a protector solar que fica no corpo ao final de uma dia de "tosta ao sol".

  O cheiro a protector solar faz-me sempre pensar em sol, praia e férias. Este odor aparentemente banal traz até mim 1001 recordações.

   Longínquos vão os dias de Verão passados na Póvoa de Varzim. Era tão pequena que as memórias são poucas...ficou a imagem daquele sétimo andar com vista para o mar, o meu quarto com duas camas, as toneladas de brinquedos que levava, o pãozinho quente logo pela manhã, o frango assado comprado na rua, o papagaio que dizia sempre "habla comigo", a casa sempre cheia de familiares...

   À Póvoa seguiram-se os anos de férias à bom português no Algarve. Lagos foi a terra escolhida (e bem escolhida). Daqui o cheiro a protector solar é bem mais intenso e as recordações claras. Os primeiros anos foram gozados em família num apartamento demaisado grande para nós. Foram dias de rodelas de chouriço, do "Dino" a fazer sucesso na praia, do peixe aranha a picar-me no meu primeiro dia de praia, de donuts com açucar, de gelados comidos no Bar Moinho, até um gatinho preto houve que encontrou o caminho até ao nosso 5º andar...os últimos anos foram passados a três, num apartamento bem confortável e agradável. Salta o cheirinho às compras no Pingo Doce, a comida comprada no Take Way e respectiva ventania associada à compra, os passeios nocturnos a pé até ao centro, a animação típica de Verão, as tardes ventosas na Meia Praia, os passeios ao Forum Algarve, as vistias ao Zoo Marine...

   Cansados do Algarve, tomamos novos rumos, metemo-nos num avião e o destino foi: Palma de Maiorca. A paixão foi imediata e nos três últimos anos tem sido o nosso destino de eleição. Aqui sim o cheiro a protector solar deixou marcas profundas. Não há mar igual (quentinho, quentinho), não há paisagens, vistas, fotografias, imagens, como as de lá. O clima é incomparável, a humidade no ar deixa o corpo pegajoso, o ambiente é de verão em festa, convida-nos aos passeios, à boa-disposição, à alegria. O cheiro constante a protector solar acompanha-nos nas longas caminhadas entre C´an Pastilla e Arenal, nos autocarros que nos conduzem ao centro e às suas encantadoras ruas, nas sacas de compras, no pequeno-almoço demasiado recheado e nos pratos demasiado cheios do almoço e jantar.

  

   O último cheiro a protector solar conduz-me à viagem até à Tunísia...até ao minúsculo aeroporto com aparência de pavilhão gimnodesportivo, até ao bonito Hotel Ibersotar Solaria, com as suas magníficas piscinas, a gruta, os crepes a meio da tarde comidos na piscina, a refeição diária de pizza, os coloridos cocktails, a música contagiante, o aroma doce a não sei bem o quê, os sabores da Xixa, a alegria contagiante do povo tunisino, as labirinticas medinas e o "regatear amigo, regatear", o contraste...e tu e as nossas primeiras férias juntos. 

   Quem diria que um frasco de protector solar poderia conter em si tantos cheiros? 

   Estou com vontade de aumentar o meu leque de cheiros...destino? We never know...