Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Santa Catarina - a magia perdida

 

 

  O percurso era o mesmo de sempre. As saudades daquelas ruas eram já algumas. Sou uma menina da cidade, viciada em compras e que adora passear e ver montras. A R. de Santa Catarina é o local ideal. Coração da cidade, local de encontro de muitas e muitas vidas desligadas de si. Hoje, as cores daquela rua eram outras. Aos primeiros passos invadiram-me sensações de estranheza. Os meus olhos não reconheciam ali o que tantas outras vezes os satisfez. Até os aromas eram diferentes (diga-se, nada agradáveis). Por todo lado pessoas mais ou menos apressadas caminhavam sem qualquer brilho nos olhos. Em cada canto grupos de diversas etnias ocupavam o chão sujo. Mendigos pediam ajuda a quem passava, enquanto outros procuravam ajuda nos caixotes do lixo. Estrangeiros accionavam as suas máquinas fotográficas na procura da melhor fotografia, ao mesmo tempo que tentavam pronunciar palavras em português do género "Bói e váca" (não me parece o vocabulário fundamental para conhecer o nosso país, penso eu...).

   Tudo parecia correr com a mesma normalidade de todos os outros dias, mas quem já por lá caminhou e não se limitou a por lá passar fica com um vazio no olhar e na alma. Santa Catarina perdeu a sua magia. A rua de Santa Catarina perdeu-se nos passos de cada um e tomou o caminho do abandono, da vulgaridade, do destino perdido. Talvez seja por falta de sol, talvez esteja apenas cansada de tantos passos, de tanta gente, de tanta azáfama...

   Talvez tenha sido apenas impressão minha, mas, para mim, o encanto perdeu-se e o Porto perdeu um bocadinho da sua luz.