Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

1001 pequenos nadas...

...que são tudo, ou apenas esboços da essência de uma vida entre as gentes e as coisas, captados pelo olhar e pela mente livre, curiosa e contemplativa. Por tudo isto e tudo o resto: É PROIBIDA A ENTRADA A QUEM NÃO ANDAR ESPANTADO DE EXISTIR

Hala Madrid

   Sempre quis viajar na altura do Natal para uma grande cidade. Eu gosto do Natal na rua e gosto de grandes cidades, por isso viajar nesta época é perfeito para mim e até o frio sabe bem. Madrid foi a nossa escolha para uma escapadinha natalícia de 3 dias. Nunca lá tinhamos ido e era sem dúvida uma cidade que queriamos muito conhecer. Levava expectativas elevadas, não estivessemos nós a viajar para a 3ª maior cidade da Europa, mas devo dizer que ao fim de umas horitas na cidade essas expectativas estavam mais que superadas!!! Acho que desde o momento em que saí da estação do metro em pleno coração da cidade que percebi que nada me iria desiludir. 

   Como o objectivo era conhecer o máximo da cidade em 3 dias, optamos por um hotel bem central e a sugestão da nossa agência de viagens foi perfeita! Hotel Regina, um hotel pequenino, sem luxos mas com uma certa classe, localizado numa zona tão central que só precisamos de andar de metro para duas visitas fora da cidade (a praça de touros e o Santiago Barnabeu). Era sair do hotel e escolher se queriamos ir para a esquerda -  menos de 5 min das Puertas del Sol - ou para a direita - menos de 5 minutos da Praça Cibelles. Quem conhece Madrid sabe que a partir daqui chegamos a todo o lado. 

Hotel (4).JPG

 

  De facto, a melhor forma de absorvermos o melhor de uma cidade é caminhando e foi assim que conhecemos Madrid. Foi cansativo, foi, muito (fizemos cerca de 70 km a pé em 3 dias), mas valeu cada metro palmilhado!

   De forma a não perdermos tempo e nos desorganizarmos, programamos a nossa viagem antes de levantarmos voo. Guia turístico na mão, mapa e principais locais a visitar definidos. Como o caminho se faz caminhando, deixamo-nos levar pelas ruas de Madrid e a caminho de cada local a visitar conheciamos outros tantos, muitos dos quais não constam nos guias mas fazem parte da verdadeira Madrid. 

   Afinal, o que vimos? Tanto, mas tanto, que não dá para descrever. E tanto, mas tanto, que de certeza ficou por conhecer. Mas os imperdíveis estiveram presentes: 

Catedral de Almudena

Catedral de Almudena (1).JPG

Catedral de Almudena (2).JPG

Plaza Mayor

Plaza Mayor (4).JPG

Plaza Mayor (13).JPG

Plaza Mayor noite (4).JPG

Plaza Mayor (14).JPG

 

Palácio Real

Palácio Real (28).JPG

Palácio Real (5).JPG

Palácio Real (17).JPG

 

Puertas del Sol

Puerta del Sol (5).JPG

Puerta del Sol (14).JPG

Purta del sol noite (2).JPG

Km 0 (2).JPG

Plaza Cibelles

Plaza Cibelles (2).JPG

Plaza Cibelles noite (1).JPG

Puerta de Alcala

Puerta de Alcala (5).JPG

Parque del Retiro

Parque del Retiro (5).JPG

 

Parque del Retiro (14).JPG

 

Parque del Retiro (21).JPG

 

Parque del Retiro (37).JPG

 

Parque del Retiro (50).JPG

 

Museu do Prado e Museu da Reina Sofia

Museu do Prado (4).JPG

Museu Reina Sofia (2).JPG

Praça de Touros de Las Ventas

Plaza de Touros Las Ventas (32).JPG

 

Plaza de touros Las Ventasw (1).JPG

 

Plaza de touros Las Ventasw (3).JPG

 

Estádio Santiago Barnabeu

Santiago Barnabeu (10).JPG

 

Santiago Barnabeu (51).JPG

 

Santiago Barnabeu (60).JPG

 

Santiago Barnabeu (67).JPG

 

Santiago Barnabeu (72).JPG

 

Gran Via

Gran Via (2).JPG

Gran Via (5).JPG

Gran Via (8).JPG

Gran Via (9).JPG

Gran Via.JPG

 

Museo de Cera

Museu Cera (1).JPG

Museu Cera (49).JPG

 

 

   E outros tantos locais especiais e lindos guardados nas mais de 500 fotografias que tirei!

   Conclusão rápida e simples: fiquei absolutamente rendida a Madrid! 

   Eu sou claramente uma rapariga de cidades, quanto mais confusão, quanta mais agitação, quanta mais gente melhor. Madrid tem tudo isto, com uma dose de imponência, arquitectura e história que nos deixam arrebatados. Madrid não cabe nas fotografias! Madrid faz doer o pescoço de tanto que temos de olhar para cima para abranger toda a magnitude dos edifícios. Madrid tem milhares de pessoas nas ruas, Madrid tem luz, tem agitação, tem barulho, tem tanta vida que não há forma de não nos sentirmos felizes e completos por lá. 

   Vou voltar, de certeza que vou voltar!

 

   Deixo uma dica: se querem conhecer Madrid de forma mais económica e sem filas, comprem anter o Madrid Card, uma espécie de passe válido pelos dias que escolhermos que nos permite entrar em tudo que é museus, monumentos e outras coisas tais sem comprar bilhetes ou esperar em filas. E quando digo tudo, é mesmo tudo. Não ocmprei um único bilhete para visitar fosse o que fosse e deixei dezenas de espaços incluidos no cartão por visitar por não termos tempo. 

 

 

 

 

 

 

 

 

Notas mentais

  

   Se acordam às 7h30 de Sabádo para irem passear até ao Norte de Espanha, não limtem esse passeio a centros comerciais, não limitem as compras a chocolates, bebidas, iogurtes, bolachas, gomas e revistas de moda (incluindo uma edição especial da Vogue España com 709 páginas!) e, acima de tudo e mais importante que qualquer outra coisa, se têm tendência a enjoar quando viajam na parte de trás do carro, por favor, mas mesmo por favor, não se lembrem de fazer Sudoku`s enquanto viajam. Correm o risco de chegar ao destino com uma valente dor de cabeça e uma tal naúsea que vos faça passar uns belos momentos de joelhos...na casa de banho de um centro comercial espanhol a fazer vocês podem adivinhar o quê e que eu não vou sequer referir o nome. Veleu o colo do namorado e o banco de trás do carro, onde dormi uma bela soneca!

   Acidentes de percurso à parte, foi um dia bem passado, como não poderia deixar de ser um dia passado em terras de nuestros hermanos.

No berço da pátria

E o dia foi agradavelmente passado em Guimarães, com a melhor das companhias.

Entre o Castelo e o teu medo de que as pedras caissem (!!!), jardins, passeios, a subida à Penha no ovo voador (leia-se Teleférico da Penha) e a nossa postura rija de "não te mexas que isto abana", houve tempo para sorrisos, palavras, alegrias e muitas fotografias!

 

   Uma cidade historicamente bonita, que vale a pena conhecer melhor.

Fechado para férias

   Com esta chuva deprimente estou de partida para lugares onde há sol e calor, praia, um mar infinito com temperaturas invejáveis e um espírito latino no ar. O destino: Palma de Maiorca.

   A borboleta repousará durante 9 dias em terras espanholas, regressando com a alma renovada e o espírito rejuvenescido.

   Até já.